Archives for recém-nascido

Retinopatia-da-prematuridade-você-sabe-o-que-é

Retinopatia da prematuridade: você sabe o que é?

1 - Doença afeta bebês prematuros e abaixo do peso no nascimento

Retinopatia-da-prematuridade-você-sabe-o-que-é Já citamos a Retinopatia aqui no blog, mas você sabe que doença é essa? Pois é sobre ela que falaremos no post de hoje. Para a mamães e papais que têm nos acompanhado, temos falado sobre doenças que afetam as crianças. Além disso, temos destacado a importância dos cuidados com os olhos desde a infância como abordamos no artigo Porque cuidar dos olhos desde a infância. No artigo de hoje vamos conhecer um pouco mais sobre essa enfermidade que afeta, principalmente, bebês prematuros e aqueles que nascem abaixo do peso ideal. A Retinopatia da prematuridade é uma das principais causadoras de cegueira infantil. Porém, felizmente em 90% dos casos não são graves e não chegam a prejudicar a visão. Continuamos com nossos textos informativos para que você papai e você mamãe não esqueçam que quanto mais cedo seus filhos tiverem acompanhamento com um oftalmologista pediátrico, melhor. Mas, sem mais delongas, vamos aprender um pouco mais sobre a Retinopatia da prematuridade? Então, segue com a gente na leitura do artigo de hoje.

2 - O que é Retinopatia da prematuridade?

Retinopatia-da-prematuridade-você-sabe-o-que-é Para início de conversa gostaria que você soubesse que, infelizmente, essa é uma doença pouco conhecida pelos pais. Por isso, entendemos a importância de falar sobre ela de forma que as informações sejam difundidas com todos. Dessa maneira, com informação, as pessoas saberão o que fazer em casos como esse. A Retinopatia da prematuridade é uma doença ocular que acomete crianças que nascem antes de 36 semanas. Ademais, bebês que nascem pesando menos do que 1600 gramas. É uma enfermidade que faz com que ocorra um crescimento desorganizado dos vasos sanguíneos que nutrem a parte de trás do olho, mais precisamente, a retina. Esses vasos começam seu processo de desenvolvimento a partir do terceiro mês de gestação. Portanto, nos casos de nascimento prematuro esses vasos param de crescer ou crescem de maneira anormal. Assim sendo, pode danificar a retina causando a Retinopatia da prematuridade. Em outras palavras, os vasos sanguíneos se rompem gerando um sangramento. Nos casos mais graves há deslocamento da retina. Em casos como este, infelizmente, o bebê corre risco de ter perda de visão. E esses casos mais graves acontecem:
  • Bebês que nascem antes da 32ª semana gestacional;
  • Bebês que nascem com 1500 gramas ou menos;
  • Bebês que necessitam de tratamento com oxigênio.
Quando um bebê apresenta esse quadro de Retinopatia da prematuridade, ele passa a ser acompanhado por um oftalmologista infantil. Além da criança ser submetida ao teste do olhinho Ampliado, o prematuro terá o acompanhamento do oftalmologista mesmo após ter alta da unidade neonatal. O aumento no número de casos de Retinopatia da prematuridade é consequência do avanço tecnológico. Isso mesmo, porque a medicina avançada tem contribuído para que bebês cada vez menores consigam sobreviver.

3 - Estágios da Retinopatia da prematuridade

Retinopatia-da-prematuridade-você-sabe-o-que-é O grau de comprometimento dos olhos dos bebês com a doença é medido por um instrumento especial utilizado pelo oftalmologista infantil. O exame observa o fundo do olho da criança e determina qual dentre os cinco graus foi classificado:
  • Estágio 1 - quando há um crescimento anormal leve dos vasos sanguíneos da retina;
  • Estágio 2 - quando há um crescimento anormal moderado dos vasos sanguíneos da retina
  • Estágio 3 - quando há um crescimento anormal severo dos vasos sanguíneos da retina;
  • Estágio 4 - quando há um crescimento anormal severo dos vasos sanguíneos e deslocamento parcial da retina;
  • Estágio 5 - quando ocorre deslocamento total da retina;
Em sua fase inicial a Retinopatia regride de forma espontânea. Dentro de 4 a 6 semanas após o nascimento do bebê deverá ser realizado o primeiro exame. Já o acompanhamento com o oftalmologista pediátrico deve acontecer até os vasos se formarem por completo ou quando a doença regredir totalmente. ontudo, mesmo com a regressão, é necessário que os bebês tenham acompanhamento anual, pois há chances de que ocorram outras doenças oculares como estrabismo ou diferença de grau entre os olhos.

4 - Tratamento para Retinopatia prematura

Nos casos considerados com risco de causar cegueira, as opções de tratamento indicadas pelos oftalmologistas são: A cirurgia à laser, considerada a forma de tratamento mais utilizada em casos diagnosticados precocemente. Com essa cirurgia raios laser que param o crescimento anormal dos vasos sanguíneos que fazem com que a retina saia do seu lugar. Já nos casos avançados da doença é indicada a colocação de uma faixa cirúrgica no olho. Nesses casos a retina encontra-se afetada, o que a leva a deslocar do fundo do olho. Com o uso da pequena faixa cirúrgica em volta do globo ocular, a retina permanece no lugar certo. Mais em situações ainda mais avançados, então, a vitrectomia é indicada. Em outras palavras, é uma cirurgia que retira o gel com cicatrizes localizado no interior do olho e é substituído por uma substância transparente.

Retinopatia-da-prematuridade-você-sabe-o-que-éRetinopatia-da-prematuridade-você-sabe-o-que-é5 - Como prevenir essa doença ocular

  Agora queremos dar um importante recado, principalmente para as mamãe. A melhor maneira de prevenir para que seu bebê não sofra com a Retinopatia prematura é tendo um ótimo pré-natal. É fundamental que você mamãe e você papai não esqueçam do quanto é fundamental ter o acompanhamento correto durante todo o período gestacional. Quanto mais dúvidas vocês tirarem com seu médico, melhor. Para evitar sequelas da doença é fundamental prevenir. Para isso, peça ao seu médico o exame que diagnostica a doença.
Read more
Porque cuidar dos olhos desde a infância

Porque cuidar dos olhos desde a infância

1 - Cerca de 90% da visão é desenvolvida até os 3 anos de idade

Porque-cuidar-dos-olhos-desde-a-infância Queridos papais e mamães, vocês sabiam que 90% da visão é desenvolvida até os 3 anos de idade? Esse dado já deveria ser suficiente para que vocês compreendam a importância de cuidar dos olhos desde o início da vida. No artigo de hoje vamos nos aprofundar mais nesse tema para que todos os pais e todas as mães sejam bem informados sobre o assunto. Assim sendo, quero convidá-los a permanecer com a leitura desse texto.

2 - Porque esse cuidado deve ser iniciado logo após o nascimento do bebê

Porque-cuidar-dos-olhos-desde-a-infância Como adiantamos no tópico de introdução deste artigo, a visão do ser humano tem seu desenvolvimento até os dois primeiros anos de vida. Dessa maneira, entendendo a importância de um acompanhamento especializado nesse período, a Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica orienta que os primeiros cuidados oftalmológicos devem ser realizados já logo após o nascimento da criança. É justamente por isso que alguns exames são realizados ainda na maternidade como, por exemplo, o Teste do Olhinho. É um exame fundamental, pois ele é capaz de descobrir se existe qualquer alteração dentro do olho, na retina, no cristalino ou na córnea. Já vimos aqui no blog que os testes do olhinho, tanto o simples quanto o ampliado visam detectar doenças comuns na infância. Por exemplo, glaucoma, alterações de retina, tumor de retina, conjuntivite e até mesmo catarata congênita. Esses exames iniciais feitos tanto na maternidade quando o bebê nasce quanto nos primeiros dias de vida detectam ou descartam a presença dessas doenças. Mais um dado que justifica porque é importante cuidar dos olhos das crianças o quanto antes. Porém, além dessas doenças, os exames realizados logo no início de vida de uma pessoa pode descobrir se há erros refracionais. Em outras palavras, são condições patológicas onde se identifica problemas de visão como miopia, hipermetropia, entre outros. Diante da importância do teste do olhinho logo após o nascimento do bebê, desde 2010 é obrigatório que ele seja realizado. Dessa maneira, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) tornou essa obrigatoriedade até para os planos de saúde. O teste do olhinho deve ser realizado, no máximo, até o terceiro mês de vida da criança.

3 - Doenças oftalmológicas que afetam crianças

Porque-cuidar-dos-olhos-desde-a-infância Temos falado ao longo dos nossos artigos sobre enfermidades oculares que acometem crianças. Contudo, hoje vamos listar elas nesse post como forma de reforçar a importância que o cuidado oftalmológico no início da vida humana tem. Entretanto, não queremos assustá-los papai e mamãe. Nosso objetivo é alertar vocês sobre a importância do seu filho ou filha ser cuidado desde o início por um oftalmologista pediátrico. Dessa maneira, em caso de alguma anormalidade, sendo descoberta logo, o tratamento tem chances muito maiores. As doenças que podem ser diagnosticadas cedo com o acompanhamento correto são: Vale frisar que há doenças oculares que afetam as crianças até cerca de 6 a 7 anos de vida. Isso torna ainda mais importante o acompanhamento oftalmológico pediátrico, a fim de diagnosticar o quanto antes qualquer problema. Podemos destacar também como anomalias oculares que afetam crianças: Bom, essas são apenas algumas doenças que acometem crianças. Como falamos, a ideia não é assustar, mas alertar a todos os papais e mamães. Quanto mais pais, mães e responsáveis se informarem acerca desses problemas oculares, mais fácil será entender a importância das crianças terem um acompanhamento oftalmológico.

4 - Desenvolvimento visual nas crianças

Porque-cuidar-dos-olhos-desde-a-infância Vimos que 90% do desenvolvimento ocular acontece até os dois anos de idade. Porém, é entre seis meses até os cinco anos que identificamos o maior período de desenvolvimento visual. O processo de percepção das informações que chegam ao cérebro é de maior responsabilidade dos olhos. Em outras palavras, 80% das informações que nosso cérebro processos é oriunda do que os nossos olhos vêem. Assim sendo, quando nossos olhos enxergam algo automaticamente a informação é processada e enviada para nosso cérebro. Esse processo de desenvolvimento é fortalecido durante as idades iniciais dos seres humanos. Por isso, temos batido nessa tecla. Pois, papais e as mamães precisam entender a importância de levar as suas crianças num oftalmologista infantil. Identificar na criança alguma anormalidade visual não é tão fácil quanto nos adultos, pois elas não têm percepção das coisas. Alguns exames oculares são realizados assim que o bebê nasce. Depois disso é fundamental que a criança vá a um oftalmologista pediátrico até o primeiro ano de vida. Durante os 12 primeiros meses o olho é o órgão do corpo humano que mais se desenvolve. Mas, é com 7 anos de idade da criança que os olhos se tornam adultos. Com esses dados do artigo de hoje, você vai demorar de marcar uma consulta para seu filho ou sua filha? Temos certeza que não! Se surgir alguma dúvida entre em contato conosco da Baby Eye Care que estamos à disposição.  
Read more
Ambliopia

Ambliopia: crianças até 6 anos de idade são afetadas com essa anomalia

1 – 2 a 3% de crianças até 2 anos, e 3 a 6% até 6 anos apresentam a Ambliopia

Ambliopia é a anomalia que faz com que uma pessoa enxergue melhor com um olho do que com outro. Conhecida como “olho preguiçoso” é desenvolvida quando o cérebro para de enviar informações para um dos olhos. E isso acontece devido a uma série de fatores que contribuem para que a visão de apenas um olho se desenvolva corretamente. Assim a visão do outro olho para de se desenvolver. As crianças com até 6 anos de idades são as mais acometidas por essa anomalia. Enquanto 2 a 3% das crianças com até 2 anos apresentam Ambliopia, esse percentual aumenta para de 3 a 6% em crianças com até 6 anos de idade. São registrados cerca de 150 mil casos por ano em virtude desta anomalia ocular. Portanto, quero alertar a você mamãe e a você papai que quanto mais precocemente esse problema é percebido, menores são as sequelas. Então, quero te convidar a continuar a leitura desse artigo. Aqui vou compartilhar com você informações sobre:
  • Ambliopia: definição e causas
  • Ambliopia: sintomas e tratamento

2 – Ambliopia: definição e causas

[caption id="attachment_708" align="aligncenter" width="300"]Ambliopia infantil Ambliopia infantil[/caption]  A Ambliopia é uma deficiência que apesar de causar problemas de visão está ligada ao cérebro humano. Afinal é desenvolvida quando o cérebro beneficia apenas um olho já que o outro olho não recebe estímulo adequado das vidas nervosas. Assim sendo, ela afeta diretamente a acuidade visual tornando-a reduzida. Em primeiro lugar, os olhos captam imagens e as convertem em estímulos elétricos. Posteriormente, os nervos óticos transmitem essas imagens. E no cérebro, na região voltada para a visão, essas imagens são processadas. Quando o olho e o cérebro não funcionam de forma harmônica e sincronizada, aí a Ambliopia é apresentada. Como citei no início deste artigo, vários fatores podem ocasionar a Ambliopia. A exemplo do estrabismo, anisometropia e ametropia. Em suma, a Ambliopia Estrábica é considerada a mais comum, por isso acomete com mais frequência as crianças. O estrabismo contribui significativamente para a ambliopia, pois com os olhos desalinhados gerando visão dupla o cérebro acaba ignorando a informação visual do olho mais fraco. Vale ressaltar que apesar da anomalia, o olho não desenvolvido corretamente é um olho saudável que precisa, apenas, ser estimulado. Na Anisometropia (tema do nosso próximo artigo) devido a problemas como astigmatismo, miopia ou hiperopia a ambliopia também pode ser desenvolvida. Isso porque essas deficiências oculares causam problemas na refração ocular, ou em outras palavras, problemas de focalização. E com isso contribui com o desenvolvimento da ambliopia.

3 - Ambliopia: sintomas 

[caption id="attachment_707" align="aligncenter" width="225"]Um olho se desenvolve mais do que outro Um olho se desenvolve mais do que o outro[/caption]  Apesar da diminuição da visão que é o principal sintoma, em se tratando de crianças fica mais complicado. Já que elas dificilmente relatam ou até mesmo percebem essa redução visual. Cabe, portanto, a você papai e mamãe seguir algumas dicas que irão facilitar na observação do problema na criança. Quando a causa for consequência do estrabismo, a observação acaba sendo mais fácil. Então, a primeira dica que quero te dar é essa: se você percebeu que seu filho ou sua filha apresenta um desvio no olhar, procure um oftalmologista. Pois como já falei uma anomalia pode levar a outra e quanto mais cedo for detectada, mais fácil é de corrigi-la. Porém, se não há desvio, então, entra aí a importância das crianças até 3 anos de idade serem acompanhadas por um especialista. Em suma, mamãe e papai, não achem que é exagero levar seu pequeno ou sua pequena a um oftalmologista.

4 - Ambliopia: tratamento

[caption id="attachment_709" align="aligncenter" width="300"]Tampar um dos olhos é um dos tratamentos Tampar um dos olhos é um dos tratamentos[/caption] Portanto para que o diagnóstico seja preciso é necessário que a criança seja avaliada e a causa da ambliopia definida. Entre os possíveis exames que seu filho pode fazer estão:
  • Exame com tampão (um olho é tapado para que o outro seja avaliado)
  • Teste alternado com e sem cobertura
  • Refração
  • Oftalmoscopia
  • Lâmpada de fenda
O tratamento envolve forçar o cérebro a utilizar as imagens captadas pelo olho afetado. No entanto isso pode ser conquistado apenas utilizando mecanismos para corrigir o foco visual (refração), a exemplo do uso de óculos. O grande X da questão que quero reforçar com você, papai e com você, mamãe, é que não há motivo para se desesperar. Todas essas informações que estou compartilhando com você é para que seu filho receba o acompanhamento correto o mais rápido possível. Dessa forma poderemos corrigir qualquer anormalidade em tempo hábil.   Gostou das dicas e das informações que foram dadas ao longo desse conteúdo? Quer ficar por dentro de outros artigos? Como esse, eles vão lhe auxiliar nos primeiros meses e anos da vida do seu filho! Aproveite e se inscreva para receber a nossa Newsletter! Curta, compartilhe e comente esse artigo. Nós, da Baby Eye Care Brasil, apoiamos o movimento a favor da saúde ocular dos bebês e acreditamos que o diagnóstico precoce é o único caminho para uma saúde oftalmológica completa. Gostaria de ter a chance de tratar o seu filho a tempo ou ao menos oferecer-lhe maior conforto? Contate-nos para mais informações: (11) 3171-3123 ou contato@babyeyecarebrasil.com.br. [caption id="attachment_705" align="aligncenter" width="300"]Dr. Rodolpho Navaro Filho Dr. Rodolpho Navaro Filho[/caption] Dr. Rodolpho Navaro Filho é formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em 1995, onde também fez sua residência (Departamento de Oftalmologia da Santa Casa de São Paulo). Especializado em Estrabismo pela Seção de Estrabismo do Departamento de Oftalmologia da Santa Casa de São Paulo em 2001.  
Read more
Olhos do bebê remelando

Olhos do bebê remelando: Devo ficar preocupada e o que fazer?

 

1 -Olhos do bebê remelando: Devo ficar preocupada e o que fazer?

    [caption id="attachment_503" align="aligncenter" width="402"]Olhos do bebê remelando Olhos do bebê remelando[/caption] Olhos do bebê remelando, a chegada de uma nova vida traz muitas dúvidas e incertezas para toda a família. Aliás lembrando que o bebe já quando nasce possui um grande compromisso com vários testes exemplo: teste do pezinho. Completamente dependente dos pais, o recém-nascido é o centro das atenções e principal motivo das preocupações também. E posteriormente nesse artigo você verá uma das dúvidas comuns dessa fase sendo respondida: Olho do bebê com remelas, é normal? E o que fazer? afinal na vida adulta um olho remelando pode significar o começo de uma conjuntivite. Ou pode ser algum tipo de infecção? Mas não apenas essas moléstias, Porque na vida de um bebê pode significar também um tipo de entupimento no canal lacrimal. O entupimento lacrimal  é muito mais comum do que a maioria das pessoas escuta falar ou imagina. É imprescindível ter calma! O olho do bebê remelando pode ou não significar algo. Deve-se entender o assunto antes de sair por aí correndo para o hospital. Ou ainda deixar o olho do seu filho sem qualquer tipo de cuidado especial por julgar ser algo simples. Achou o assunto interessante? Então continue lendo este conteúdo e tire todas as suas dúvidas referentes ao tema. Saiba quando é necessário ir em busca de uma ajuda profissional especializada e veja ainda como cuidar de um olho de bebê com remelas.

2 - Olhos do bebê remelando: Por que isso acontece?

[caption id="attachment_506" align="aligncenter" width="360"]http://blog.coioftalmologia.com.br/olhos-dos-bebes-lacrimejando-e-remelando Olhos do bebê remelando: Por que isso acontece?[/caption] Entretanto são várias as causas do olho do bebê com remelas. Contudo, uma delas é a conjuntivite, que é comum tanto a crianças quanto a adultos. Boa parte dos casos de olhos lacrimejando e colando entre os recém-nascidos e bebês está associado a outro problema. O entupimento do canal lacrimal é bem mais comum do que as pessoas costumam imaginar. Muitos bebês nascem com o desvio do canal. Geralmente não é nada preocupante ou sério, Apesar de poder levar até 12 meses para que este tipo de situação se normalize. É uma causa natural, portanto ninguém tem culpa visto que não indica uma falta de cuidado, por exemplo. O olho de bebê remelando também pode ser indicativo da contração de algum tipo de infecção. Neste caso, com fluídos amarelados, é interessante procurar uma ajuda médica Determina como administrar e cuidar desta situação antes que vire de fato um problema.

3 - Olhos do bebê remelando, quais são as principais causas?

[caption id="attachment_509" align="aligncenter" width="391"]Olho remelento As principais causas[/caption] Como mencionado antes, são várias as causas do olho de bebê com remela. Isso pode acontecer devido a um simples resfriado ou gripe, devido a inflamações e infecções ou ao canal lacrimal obstruído. É realmente difícil apontar uma maneira eficaz de se evitar a contração de qualquer um desses problemas. Aliás, especialmente a obstrução do canal lacrimal é absolutamente algo interno. Faz parte do organismo do bebê e foge ao controle dos pais e até mesmo dos médicos. Quanto a infecções e resfriados é sempre importante lembrar que o convívio com um recém-nascido deve ser limitado e restrito. Com a saúde extremamente frágil ainda, indica-se que o bebê fique um pouco mais resguardado. Até que tenha tomado as principais vacinas ao longo dos primeiros meses. A limpeza das mãos do bebê com regularidade ajuda a evitar a contração de infecções na região dos olhos. Mas essa não é a única forma de se contrair bactérias na área, pois, Não há nada que se possa fazer literalmente a respeito além de manter uma boa e adequada rotina de higiene, não é mesmo?

4 - Olhos do bebê remelando, existem tratamentos para o olho de bebê remelando?

[caption id="attachment_510" align="aligncenter" width="383"]olhos remelentos Olho remelento - tratamento[/caption] Quando for indicado que o olho do bebê está remelando porque ele tem o canal lacrimal obstruído, ou entupido, será indicado aos pais fazer a limpeza da região com soro fisiológico. Ou até mesmo água morna sempre fazendo um tipo de massagem que permita que o canal vá, aos poucos, sendo desobstruído. No geral, os bebês conseguem se ver livres desse pequeno problema embora até completarem o seu primeiro ano, todavia vale lembrar que há variações. Em casos mais sérios pode ser necessário entrar com uma pequena cirurgia para a desobstrução. Essa cirurgia é bem simples e rápida. A criança recebe anestesia para o seu maior conforto! Para os casos em que a remela for identificada como um resultado de conjuntivite, além da limpeza cotidiana, poderá ser passado algum medicamento ou remédio em específico. No geral, o chá de camomila quase frio é um dos itens indicados nessa situação.

5 - Olhos do bebê remelando, como minimizar tais sintomas?

[caption id="attachment_511" align="aligncenter" width="419"]Olho do bebe remelando Como aliviar sintomas[/caption] Para minimizar desde uma conjuntivite até um problema no canal lacrimal é válido manter a limpeza dos olhos do bebê sempre em dia. Utilize uma gaze em cada olho para não correr o risco de levar pequenas infecções de um lado para o outro. Outro cuidado interessante é de fazer massagens preventivas no canal lacrimal dos olhos, Pois, desde o nascimento do bebê e antes mesmo que ele venha a apresentar qualquer indicativo desse possível entupimento. Fora isso, paciência mãe e paciência pai! As doenças mencionadas aqui não costumam ser prejudiciais a saúde visual da criança, contudo assim é importante ficar de olho para que os olhos não sejam postos em risco. Se perceber que os sintomas estão se agravando ao invés de diminuir, é bom recorrer a ajuda especializada, como você verá a seguir.

6 - Olhos do bebê remelando,  consulta ao oftalmologista pediátrico: É necessário?

[caption id="attachment_45" align="aligncenter" width="448"]Conjuntivite Neonatal Baby Eye Care Brasil- Clínica infantil oftalmológica[/caption] Sim! Especialmente se a situação do olho do bebê remelando continuar mesmo após uma ou duas semanas. Nos casos em que é necessário fazer a completa limpeza mais do que três vezes ao dia Ou ainda quando se percebe que o fluído lacrimal é amarelado. Em todos esses casos, que são considerados como agravantes da situação, indica-se a procura por um profissional oftalmologista com especialização pediátrica. Mais do que uma necessidade, este é um cuidado com a saúde da visão do bebê. Nos casos mais sérios, quando há uma intervenção rápida e o tratamento certo é iniciado depressa. É possível que a recuperação do canal e da vista sejam completos. Para tanto, tenha certeza de contar com quem realmente entende dessa especialidade. A Clínica Baby Eye Care é referência quando o assunto é cuidar dos olhos do seu filho! Aproveite para entrar em contato e agende uma consulta para saber mais sobre o olho de bebê remelando e também sobre outros assuntos relacionados aos olhos! Dr. Marcelo Cavalcante Costa, sócio/proprietário da Baby Eye Care Brasil, consultório médico especializado em doenças oftalmológicas em crianças, médico responsável por esse artigo. [caption id="attachment_191" align="aligncenter" width="381"]Conjuntivite Neonatal Dr. Marcelo Agra Cavalcante Costa[/caption]
Read more
Teste do Pezinho

Para que serve o teste do pezinho? Saiba mais aqui!

1 - TESTE DO PEZINHO

O nascimento de uma criança marca o início de uma nova fase na vida de todos aqueles que estão, de alguma forma, ligadas a ela. Junto com a chegada vem também o medo do desconhecido, afinal será que o bebê tem alguma doença congênita ou outra enfermidade? Tem como responder a essa pergunta? Para que serve o teste do pezinho e outros exames? Quais cuidados que devemos ter? Com certeza muitas interrogações e dúvidas chegam junto com o bebê. Afim de esclarecer alguns pontos, ao longo deste conteúdo. Será discutido porque é tão importante a realização de exames e testes que costumam ser feitos ainda nas primeiras horas de vida da criança. Como, por exemplo, o conhecido e muito falado teste do pezinho. Apesar da maioria das mamães saberem que este é um exame obrigatório. São poucas as que entendem porque o teste é tão determinante para o futuro do bebê que acabou de nascer. Se você faz parte do grupo que não entende a fundo para que serve o teste do pezinho, fique sabendo que está no lugar certo! Continue lendo e descubra mais detalhes!

2 - O que é o teste do pezinho?

[caption id="attachment_487" align="aligncenter" width="300"]Teste do Pezinho Teste do Pezinho[/caption] Exame obrigatório e que está disponível tanto na rede particular, quanto no sistema público de saúde. Trazido para o Brasil em meados dos anos 70 pela APAE – Associação de Pais e Amigos Excepcionais, esse teste garante a detecção de doenças a partir da análise sanguínea completa do bebê que recentemente chegou ao mundo. Aliás, o teste é realizado geralmente dentro das próprias maternidades, Justamente com a intenção de que todos os bebês passem por essa avaliação que, vale dizer, é bastante simples e que não possui efeitos colaterais para a criança. Obrigatório no Brasil desde 1992. Nessa época ele também se tornou gratuito, o que garante que todos tenham acesso a ele independente de classe social. A maioria dos hospitais públicos estão, inclusive, preparados para a realização do exame bem como os postos e unidades básicas de saúde.

3 - Teste do Pezinho, Como esse exame é feito?

[caption id="attachment_488" align="aligncenter" width="281"]Teste do Pezinho Teste do Pezinho[/caption] Mas, como o teste é feito? Provavelmente você imaginou algo pior do que é! Na realidade, o teste consiste na extração de algumas gotas de sangue do calcanhar do bebê. Tais gotas são colocadas em um papel de filtro e posteriormente enviados ao laboratório. O laboratório que recebe o material faz a análise de tudo o que foi coletado e, caso algum dos resultados dê alterado, a mãe da criança e o local onde foi feita a coleta são notificados a fim de que comecem a ser feitos exames mais precisos para verificar a veracidade da doença. Ao realizar o teste, especialmente na maternidade, fique de olho para receber o protocolo. Com cerca de 30 dias após o colhimento da amostra já é possível verificar os resultados a partir dos dados que constam nesse protocolo. Geralmente é possível até mesmo fazer a impressão do resultado pela internet.

4 - Teste do pezinho, para que serve o e qual a sua importância?

[caption id="attachment_490" align="aligncenter" width="263"]Teste do Pezinho Teste do Pezinho[/caption] Agora falando especificamente sobre para que serve o teste do pezinho, como já mencionado, ele serve para diagnosticar a possível existência de algumas doenças no bebê. Tais doenças, quanto mais cedo forem descobertas, melhor afinal é possível iniciar o tratamento antes. Vale destacar, entretanto, que existem dois tipos de teste do pezinho. Antes de falar para que serve o exame de forma geral, é necessário entender a diferenciação desses dois tipos de exame. Acompanhe a seguir:

5 - Teste do pezinho, tipos de teste

[caption id="attachment_491" align="aligncenter" width="276"]Teste do Pezinho Teste do Pezinho[/caption] O primeiro tipo de teste do pezinho é o mais conhecido e aquele considerado como obrigatório. É um exame que procura diagnosticar 6 doenças, sendo elas: anemia falciforme, fibrose cística, hipotireoidismo congênito, fenilcetonúria, deficiência da biotinidase e hiperplasia adrenal. Esse teste é gratuito e pode ser feito tanto nas unidades básicas de saúde quanto nas próprias maternidades. É o exame tradicional e que foi trazido há mais de 40 anos para o Brasil. O segundo tipo, entretanto, além das 6 doenças já apontadas como passiveis de diagnóstico no teste, tem a capacidade de identificar outras 30 doenças mais. Por isso, é uma versão completa, chamada de teste do pezinho ampliado. Essa modalidade de exame não é disponibilizada gratuitamente e nem faz parte dos testes realizados pelo sistema público. Desta forma, é necessário pagar para a realização desse exame, sendo este um investimento que realmente vale a pena na saúde do seu filho.

6 - Teste do pezinho, quando e como fazer o exame?

[caption id="attachment_492" align="aligncenter" width="300"]Teste do Pezinho Teste do Pezinho[/caption] Você descobriu para que serve o teste, mas ainda não sabe onde e quando fazer? Pois bem! Atualmente o teste é feito dentro das próprias maternidades, desde que o recém-nascido tenha ao menos 48 horas de vida. Caso, por um motivo ou outro, não seja possível fazer o teste neste lugar o indicado é que a família leve a criança para a realização do exame em no máximo uma semana. Quanto mais cedo o teste for feito, melhor para a análise do sangue. Para fazer o teste do pezinho basta comparecer a um posto ou laboratório. Leve os documentos do bebê, caso já tenha, além dos documentos dos pais. Passe as informações corretas para que o laboratório possa entrar em contato com algum familiar, caso seja preciso.

7 - Teste do pezinho, cuide do seu filho: Outros exames que você tem que lembrar!

[caption id="attachment_493" align="aligncenter" width="257"]Teste do Pezinho Teste do Pezinho[/caption] Agora que você já sabe para que serve o teste do pezinho é válido lembrar que este não é o único exame a ser feito nas primeiras horas, dias e semanas de vida do bebê. Assim como este exame pode diagnosticar vários tipos de doenças, outros testes possuem o mesmo objetivo sendo impreterivelmente importantes para a vida e para o futuro do bebê. Não sabe quais são os demais exames a serem realizados no recém-nascido? Tem dúvidas sobre como garantir ao máximo que todos os cuidados e testes sejam feitos com o seu bebê? Aproveite para baixar o E-book “Exames para recém-nascidos: Veja a lista completa de procedimentos para garantir a saúde do seu bebê após o nascimento!” e descubra os demais procedimentos e para que serve cada um deles!   [caption id="attachment_399" align="aligncenter" width="300"]Exames recém-nascido Ebook gratuito - http://bit.ly/EbookRecém-Nascidos[/caption]
Read more
Cuidados com o recém-nascido

Recém-nascido – 07 principais cuidados

7 cuidados que você precisa ter com um recém-nascido!

Após o parto, há uma série de medidas que precisam ser tomadas nos cuidados com recém-nascido, Contudo om a finalidade de promover proteção a sua saúde prevenindo doenças que ele possa contrair nessa fase tão sensível e importante. Afinal quais são os tipos de cuidados que você precisa ter com seu filho no pós-parto e durante os primeiros meses de vida? Então, continue lendo nosso post especial e fique por dentro do tema!

1.  Recém-nascido - Os primeiros cuidados

[caption id="attachment_449" align="aligncenter" width="322"]Cuidados com o recém-nascido Cuidados com o recém-nascido[/caption]   Certamente, logo após o parto, o recém-nascido precisa passar pelas primeiras avaliações médicas: sinais vitais e estado de saúde geral. Nesses primeiros momentos, os profissionais do hospital avaliarão a frequência cardíaca, tônus muscular, resistência respiratória e cor, isto é, se o bebê apresenta sinais de cianose ou se tem coloração normal. Nessas avaliações recomendamos o teste do olhinho ampliado. [caption id="attachment_459" align="aligncenter" width="344"]Cuidados com o recém-nascido Teste do olhinho ampliado[/caption] Se tudo estiver bem com o bebê, posteriormente os próximos cuidados poderão ser realizados sem nenhum problema. Quando o recém-nascido ainda está no hospital ou maternidade ele fará o popular teste do pezinho. Além desse, ele também passará por testes de visão para garantir a saúde de seus olhinhos, de língua e também de coração. [caption id="attachment_462" align="aligncenter" width="382"]Cuidados com o recém-nascido Teste do pezinho[/caption]   [caption id="attachment_216" align="aligncenter" width="389"]Cuidados com o recém-nascido Teste de visão[/caption] Tudo isso é feito nesses primeiros dias de vida com a finalidade de avaliar a presença e prevenir o aparecimento de doenças congênitas e síndromes que possam ameaçar a saúde da criança. Por fim, ainda temos a vacinação com BCG e contra a hepatite B. Seguindo com a primeira gama de cuidados com recém-nascidos feitos enquanto ainda estão na maternidade, ainda temos as avaliações para verificação de qualquer má formação que possa provocar algum dano à sua saúde e que precise ser resolvida imediatamente. Vale lembrar que o pré-natal tem um papel fundamental aqui. Muitos problemas envolvendo a saúde do bebê já são evitados e corrigidos antes mesmo de seu nascimento. Em outros casos, quando alguma complicação é identificada durante a gestação, o seu tratamento será muito mais eficaz após o parto. Claro que a lista de cuidados segue. Afinal, estamos falando dos primeiros meses de vida da criança. A seguir apontamos outros aspectos importantes que devem ser observados após os primeiros dias de vida do bebê. [caption id="attachment_464" align="aligncenter" width="399"]Cuidados com o recém-nascido Cuidados com o recém-nascido[/caption]  

2. Cuidados com a visão do recém-nascido

É muito importante cuidar da visão da criança a fim de fazer um acompanhamento com um oftalmologista pediátrico. Vale lembrar então que, quanto mais cedo possíveis problemas forem identificados, mais rápida e efetiva será a correção. Contudo na hora da limpeza dos olhinhos precisamos de muito cuidado. Assim no momento em que estiver dando banho na criança, a mãe pode limpar usando um chumaço de algodão ou gaze. Outrossim uma observação importante é sempre usar um algodão ou gaze para cada olho. [caption id="attachment_213" align="aligncenter" width="452"]Cuidados com o recém-nascido Visão do bebê[/caption]

3. Gases e cólicas

Gases e cólicas nos recém-nascidos são algo normal e esperado. Vale lembrar que a frequência dos gases não aponta necessariamente algum problema. Agora, as cólicas é que costumam tirar o sono dos pais da criança. E sim, as cólicas não têm apenas uma única origem. Mas, esse é outro aspecto normal e costuma surgir nos bebês após a terceira semana de vida e diminuir até parar, entre os três e quatro meses. E por falar em cólica, os recém-nascidos vão chorar muito e nada que os pais fazem parecem distraí-los. Porém, uma boa, simples e prática massagem caseira ajuda a aliviar a situação e deixa a criança mais calma. Fica a dica. [caption id="attachment_466" align="aligncenter" width="500"]Cuidados com o recém-nascido Gases e cólicas[/caption]

4. Banho

Os cuidados com recém-nascido no banho dizem mais respeito aos itens usados do que a qualquer outra coisa. É preciso atenção na escolha de sabonetes, óleos e xampus. Antes de começar a dar aquele tratamento gostosinho e relaxante na criança, deve-se conferir se tudo o que será necessário já está por perto: fraldas, roupas, algodão, toalha, sabonete líquido hipoalergênico, entre outros itens. A água do banho precisa estar em torno dos 36 graus, ou seja, morna e confortável. Na dúvida sobre a temperatura, um simples termômetro poderá resolver a situação e proteger o bebê de queimaduras. [caption id="attachment_467" align="aligncenter" width="550"]Cuidados com o recém-nascido Cuidados no banho[/caption]

5. Estimulando a amamentação

Esse primeiro contato do recém-nascido com o seio materno acontece ainda na maternidade. É importante ressaltar que mesmo que o bebê não sugue o leite, o contato corpo a corpo com a mãe deve ser estimulado. Ao fazer isso, o processo de amamentação se tornará mais fácil. [caption id="attachment_468" align="aligncenter" width="572"]Cuidados com o recém-nascido Estimular amamentação[/caption]

6. Sem visitas

Vamos destacar que estamos falando de um ser ainda muito frágil. Quando o bebê está em casa, naturalmente as visitas aparecerão. Mas, é importante cuidar dessas visitas. Doenças, por mais simples que sejam, podem afetar a criança radicalmente. Outra dica é não deixar que essas visitas sejam demoradas. Por fim, todos devem higienizar as mãos antes de tocarem na criança. Aliás, essa regra também é válida para os pais.

7. Vitamina D

A vitamina D tem um papel essencial para todas as pessoas e muito mais para as crianças. E qual a melhor fonte dela que os recém [caption id="attachment_469" align="alignnone" width="678"]Cuidados com o recém-nascido Banho de sol[/caption] -nascidos podem aproveitar? Isso mesmo, o leite materno! E é aqui que o Sol entra em ação. Criar o hábito do banho de Sol no bebê ajuda a ativar essa vitamina presente no leito materno na criança.

Conclusão

Quase todos os pais dizem que os primeiros dias após o nascimento da criança é um verdadeiro caos. E eles não estão errados. Não existem regras, diretrizes ou plano pronto para deixar tudo no lugar. Os pais, por sua vez, precisam relaxar um pouco. É assim mesmo! Nos primeiros meses de vida, o bebê vai se alimentar quando quiser e dormir quando bem entender. Ou como dizem alguns, essa é a fase de maior liberdade para a criança. Com o tempo e mais rápido do que imaginamos, já incorporamos os novos hábitos na rotina e passamos a aproveitar esse momento tão especial. Quando falamos sobre cuidados com recém-nascido precisamos ter em mente que estamos cuidando de todo um futuro. Por isso, pautar esses cuidados em pontos sólidos é essencial. Uma boa ideia é analisar os seguintes aspectos: nutrição saudável, cuidados emocionais, ambiente familiar saudável e cuidados com a saúde. Não podemos deixar que nenhum desses pontos fique a desejar. Agora, que tal aproveitar para conhecer mais sobre cuidados com recém-nascidos e os principais exames que ele precisa? Baixe nosso ebook especial sobre o tema e fique por dentro de tudo! http://paisbaby.contato.site/ebook Entre em contato com a Baby Eye Care. Estamos sempre disponíveis para ajudar seu filho a crescer com saúde e feliz. Curta , compartilhe e deixe seu comentário. Seja VIP se inscreva e receba nossos ebooks e nossos emails gratuitamente com informações relevantes: http://paisbaby.contato.site/ebook [caption id="attachment_45" align="aligncenter" width="390"]Conjuntivite Neonatal Logo Baby Eye Care Brasil[/caption] Dr. Marcelo Cavalcante Costa, sócio/proprietário da Baby Eye Care Brasil, consultório médico especializado em doenças oftalmológicas em crianças, médico responsável por esse artigo. [caption id="attachment_191" align="aligncenter" width="421"]Conjuntivite Neonatal Dr. Marcelo Agra Cavalcante Costa[/caption]  
Read more
Conjuntivite Neonatal

Conjuntivite Neonatal

   CONJUNTIVITE NEONATAL

Anteriormente , explicamos como a desenvoltura da visão do recém-nascido durante o seu crescimento. Ademais mostrarmos o desenvolvimento da visão referenciamos os cuidados que devemos ter com os olhos da criança. Assim nesse artigo vamos falar um pouco sobre doenças especificamente sobre a conjuntivite neonatal:  Conjuntivite neonatal - Doença específica dos olhos da criança recém-nascida causada por agentes patogênicos ou por irritabilidade causada por agentes químicos. Várias perguntas a respeito de doenças oftalmológicas me foram feitas e frequentemente ainda são. Então com base nessa necessidade estamos inaugurando essa coluna com especialistas em oftalmologia pediátrica para a partir de agora responder as suas dúvidas. Porquanto saiba tudo sobre a conjuntivite neonatal nesse guia completo! Pois, a conjuntivite neonatal é uma inflamação conjuntival que geralmente ocorre durante o primeiro mês de vida da criança. Quando ela acomete o bebê podemos perceber ocorrências de edema palpebral, secreção ocular e olho vermelho. Podemos encontrar vários tipos de conjuntivite neonatal sendo que cada uma é provocada por um fator específico. Entre elas estão a conjuntivite contraída no canal de parto e a conjuntivite química, causadas por agentes tóxicos e irritantes ao olho. No post de hoje, selecionamos os pontos mais importantes sobre essa doença. Confira, fique por dentro e saiba como prevenir e tratar de seu filho.

Conjuntivite Neonatal  - Conjuntivite contraída no canal de parto

[caption id="attachment_427" align="aligncenter" width="259"]Conjuntivite parto Conjuntivite parto[/caption] As causas mais recorrentes neste caso são por clamídia, por gonococo ou herpes simples, mas, de maneira rara nessa última situação. Ela atinge os recém-nascidos por ocorrência do parto normal. Complicações sistêmicas e oculares podem estar relacionadas à conjuntivite contraída no canal de parto.

Conjuntivite Neonatal - Conjuntivite Gonocócica

[caption id="attachment_431" align="aligncenter" width="294"]Conjuntivite gonocócica Conjuntivite gonocócica[/caption] Habitualmente se manifesta entre o 1° e 7° dia (normalmente entre o 2º e o 4º dia) de vida da criança. Na maior parte das vezes ela surge de forma bilateral, com características de secreção purulenta em abundância e edema palpebral. Caso não seja tratada, a conjuntivite gonocócica pode se transformar em uma úlcera de córnea, ocasionando perfuração ocular e cegueira.

Conjuntivite Neonatal  - Conjuntivite por Clamídia

[caption id="attachment_429" align="aligncenter" width="299"]Conjuntivite por clamídia Conjuntivite por clamídia[/caption] Aparece entre a segunda e a terceira semana após o nascimento do bebê . A sua manifestação pode ser uni ou bilateral. A secreção ocular pode ser hemática, membranosa ou mucopurulenta. Quando não tratada, ela pode se prolongar até por 12 meses. Otite, rinite e pneumonia, em determinadas situações, podem estar ligadas à conjuntivite por clamídia. Portanto requer internação hospitalar

Conjuntivite Neonatal  - Conjuntivite herpética

[caption id="attachment_434" align="aligncenter" width="275"]Conjuntivite herpética Conjuntivite herpética[/caption] A conjuntivite herpética tem início até a segunda semana de vida do bebê. Outrossim essa patologia tem relação com lesões vesiculares epiteliais e, em determinadas situações até à encefalite. Contudo é importante ressaltar que a doença herpética neonatal é uma manifestação que requer que a criança seja submetida à internação hospitalar.

Conjuntivite Neonatal  -  Conjuntivite química

[caption id="attachment_436" align="aligncenter" width="300"]Conjuntivite Neonatal Conjuntivite Química[/caption] Esse tipo de conjuntivite tem como causa o nitrato de prata. Essa substância é aplicada nos olhos dos bebês como prevenção para a conjuntivite gonocócica. Ela surge no primeiro ou segundo dia e tem como principal característica o lacrimejamento, secreções mucoides e vermelhidão.

Conjuntivite Neonatal  - Sintomas da conjuntivite neonatal em relação à sua causa

  • Conjuntivite por Clamídia: Entre 5º e 14º dia, pode ocasionar pus, pálpebras inchadas e olhos vermelhos.
  • Conjuntivite Gonocócica: Os sintomas envolvem inchaço nas pálpebras, pus espesso e olhos vermelhos. Acontece entre 2º e o 4º dia após o nascimento.
  • Conjuntivite química: Entre os principais sintomas temos olhos avermelhados e pálpebras inchadas. A duração dos sintomas varia entre 24 e 36 horas.
  • Conjuntivites virais e bacterianas: Olhos vermelhos, inchaço nas pálpebras e pus.

  Conjuntivite neonatal – Tratamento

[caption id="attachment_438" align="aligncenter" width="275"]Conjuntivite Neonatal O tratamento[/caption] De forma geral, a ocorrência da conjuntivite neonatal é tratada com a aplicação de colírios antibióticos. Aliás de acordo com o caso e gravidade, posteriormente também podem ser usados antibióticos intravenosos e orais. É importante observar que, em várias situações, os tratamentos por colírios e antibióticos orais ou colírios e intravenosos podem ser aplicados simultaneamente. Além disso, colírios lubrificantes podem ser usados no bebê com a finalidade de higienizar os olhos.

Conjuntivite Neonatal - Prevenção

[caption id="attachment_390" align="aligncenter" width="297"]Conjuntivite Neonatal Prevenção no Pré-Natal[/caption] Quando falamos sobre prevenção de doenças em nossas crianças, o primeiro cuidado é ficar atento em realizar um pré-natal completo. Após o nascimento do bebê também é possível fazer uso de nitrato de prata. Agora, se durante a gestação da criança for verificado a presença de bactérias causadoras da gonorreia e de clamídia, o tratamento pode ser feito na mãe com antibióticos sem que o bebê seja afetado. Vale lembrar que existe também a possibilidade de o bebê ter conjuntivite de origem viral. Geralmente, isso ocorre quando há contato com pessoas que estão doentes. É por isso que recém-nascidos devem ser mantidos longe de pessoas infectadas. Eles são ainda mais suscetíveis a doenças até mesmo pela fragilidade do próprio organismo.

 Conjuntivite Neonatal  - O que fazer quando o recém-nascido tem conjuntivite?

O primeiro passo é procurar por um especialista na área, como um oftalmologista pediátrico ou um pronto socorro. Esse profissional é qualificado para orientar e sanar todas as dúvidas dos pais sobre o problema. No caso de conjuntivites de origem bacteriana, os medicamentos são prescritos pelo médico. No dia a dia o fundamental é que o bebê não tenha muito contato com outras crianças e adultos, mesmo que da própria família. O cuidado com roupas e toalhas deve ser feito diariamente. Além disso, sempre que for necessário limpar os olhinhos, a recomendação é utilizar uma gaze estéril umedecida com ´água filtrada ou soro fisiológico. Mas atenção! Deve-se usar uma para cada olho. Por fim, a dica fundamental é sempre ter em mente que tratamentos devem ser feitos sob orientação de um profissional. Receitas caseiras que tanto fazem sucesso podem trazer mais complicações do que soluções. Ficou com alguma dúvida sobre conjuntivite neonatal ou quer alguma orientação sobre cuidados de seu bebê? Entre em contato com a Baby Eye Care. Estamos sempre disponíveis para ajudar seu filho a crescer com saúde e feliz. Curta , compartilhe e deixe seu comentário. Seja VIP se inscreva e receba nossos ebooks e nossos emails gratuitamente com informações: http://paisbaby.contato.site/ebook [caption id="attachment_45" align="aligncenter" width="300"]Conjuntivite Neonatal Logo Baby Eye Care Brasil[/caption] Dr. Marcelo Cavalcante Costa, sócio/proprietário da Baby Eye Care Brasil, consultóo méridico especializado em doenças oftalmológicas em crianças, médico responsável por esse artigo sobre a conjuntivite neonatal. [caption id="attachment_191" align="aligncenter" width="300"]Conjuntivite Neonatal Dr. Marcelo Agra Cavalcante Costa[/caption]  
Read more
Retinoblastoma

Retinoblastoma, o que é? e porque o diagnóstico precoce?

1 - O que é o retinoblastoma e por que o diagnóstico precoce é tão importante?

O retinoblastoma pode ser basicamente definido como sendo um tumor maligno intraocular, que frequentemente atinge crianças em alguma fase do seu desenvolvimento. Estima-se que a cada 20.000 crianças nascidas nos Estados Unidos, uma seja acometida pelo retinoblastoma. Outrossim, um estudo realizado com 327 pacientes portadores da doença, mostrou que 52,3% dos casos de crianças portadores do tumor eram do sexo masculino, contra 47,7% do sexo feminino. Aliás, com certeza tal situação, afeta e muito a visão do bebe. por isso a importância que voce deve dar aos cuidados com olhos do bebe. Contudo este mesmo estudo também mostrou uma predominância da doença em crianças de pele clara, que representaram 80,4% dos casos deste tumor. Ademais no que diz respeito a idade dos bebês e crianças que foram atingidas pela doença, 53% dos 327 pacientes analisados eram lactantes, de 0 a 24 meses de vida. Outros 44% estavam na idade da pré-escola e, desta mesma amostra de estudo, somente 9 das crianças analisadas tinham mais que 6 anos. Nos países desenvolvidos, os casos de retinoblastoma representam cerca de 3% dos casos de câncer infantil. Já nos países em processo desenvolvimento da África e também da América Latina, como o Brasil, os casos de retinoblastoma ocorrem com maior incidência. Através de análises de dados do Hospital do Câncer de São Paulo, entre os anos de 1953 e 1962, o retinoblastoma foi o diagnóstico com maior frequência no Departamento de Pediatria, representando 19% do total de casos de neoplasias malignas. Em uma outra análise de dados entre os anos 1988 e 1994, o retinoblastoma correspondeu a 11,1% dos casos de câncer em crianças, sendo o segundo mais reincidente deste período.

3 - Sintomas do Retinoblastoma

[caption id="attachment_567" align="aligncenter" width="277"]Sintomas retinoblastoma Sintomas retinoblastoma[/caption] Pois por se tratar de uma região muito específica e que ainda está em fase de desenvolvimento no bebê, os problemas de visão podem passar despercebidos para os pais e cuidadores da criança. Portanto, o pediatra possui um papel importantíssimo no diagnóstico de doenças oculares. Afinal conhecer e estar atento aos sintomas desta neoplasia maligna, é de suma importância para o diagnóstico precoce, que aumentam exponencialmente as chances de cura. Porém, os sintomas do retinoblastoma podem variar de grau e intensidade de acordo com a localização e o tamanho do tumor. O sintoma mais comum desta doença é a leucocoria, popularmente conhecida como ‘olho de gato’. A leucocoria é caracterizada pela pupila branca e geralmente indica que algo não vai bem com a saúde dos olhos da criança. Assim esta condição é grave e pode ser um sinal da presença de um câncer maligno ou de outras doenças, como a catarata congênita. Outros sintomas que também podem indicar a presença de uma neoplasia maligna são:
  • Glaucoma, que representa um aumento na pressão intraocular.
  • Em decorrência do aumento da pressão, o nervo de ligação entre o olho e o cérebro é danificado;
  • Cegueira;
  • Hiperemia conjuntival;
No caso de alguma metástase atingir o sistema nervoso do bebê ou da criança, os sintomas citados anteriormente podem vir acompanhados de vômitos, anorexia, cefaleia e comportamento irritadiço.

4 - Diagnóstico da Doença

[caption id="attachment_568" align="aligncenter" width="300"]Diagnóstico Retinoblastoma Diagnóstico Retinoblastoma[/caption] Pois, através de estudos específicos e coletas de dados, pode-se concluir que 80% dos casos de retinoblastoma foram diagnosticados antes que a criança completasse 3 anos de idade. Como mencionado anteriormente, o pediatra possui um papel indispensável no diagnóstico precoce da doença. Quando o pediatra suspeitar de que algo não vai bem com a visão do bebê ou da criança,

ele irá fazer um encaminhamento para um oftalmologista devidamente qualificado.

Este profissional será capaz de realizar todos os exames cabíveis e assim dar o diagnóstico correto da existência ou não da doença. A leucocoria, como mencionado acima, é o sintoma mais frequente do retinoblastoma, e representa cerca de 60% do diagnóstico deste tumor maligno. O segundo sintoma mais comum é o estrabismo, que representa 25% dos diagnósticos, seguido pelos sintomas inflamatórios, que simbolizam até 10% dos casos. Também é comum que crianças com retinoblastoma apresentem algum atraso no seu desenvolvimento devido a presença do tumor. Por este motivo é tão importante que nos primeiros meses de vida a criança possua acompanhamento contínuo do pediatra, a fim de assegurar seu bem-estar e desenvolvimento adequado.

5 - Exame de fundo de olho

[caption id="attachment_569" align="aligncenter" width="260"]Exame de Fundo de Olho Prevenção Exame de Fundo de Olho Prevenção[/caption] Em todo o mundo, o diagnóstico precoce do retinoblastoma ainda é um enorme desafio. Mas desperta grandes preocupações nos profissionais da área de saúde dos olhos, tendo em vista que este é um tumor maligno que pode levar ao óbito. Entretanto , as chances de cura são significativamente maiores quando o tumor é diagnosticado no início e também diminuem as chances de que a criança fique com alguma sequela da doença. Pois , o exame de fundo de olho pode detectar a presença do câncer também em bebês prematuros, que podem acabar desenvolvendo a doença em função do oxigênio administrado nas incubadoras. Ademais o diagnóstico precoce é indispensável para o sucesso do tratamento do câncer, por isso é fundamental que crianças com histórico familiar de retinoblastoma sejam submetidas a exames específicos já nos primeiros meses de vida. Dos 327 pacientes analisados, 82,2% tinham a doença de forma localizada e 12,8% estava em estado avançado e outros 5% apesentavam a doença com metástases. Consequentemente pode-se concluir que os sintomas mais graves aparecem nos casos em que a doença não foi diagnosticada precocemente e em decorrer disto, acabam acarretando outros problemas e se espelhando para outras partes do corpo, podendo inclusive atingir o sistema nervoso da criança provocando grandes danos. Caso você suspeite de alguma anomalia na visão do seu filho, não hesite em procurar ajuda médica. Como dito anteriormente, o diagnóstico precoce é um dos pontos mais importantes no que diz respeito a cura desta doença. Em caso de dúvidas, procure um oftalmo-pediatra e esclareça todas as questões que envolvem este tumor maligno que requer grande atenção dos pais, cuidadores e pediatras da criança.

6 - Leve o bebê a um especialista em oftalmologia pediátrica (Baby Eye Care Brasil)

Vale lembrar que é sempre bom precaver e cuidar. Por isso mesmo, hoje em dia os pais já podem recorrer a alguns exames e testes mais específicos que colaboram com a visão do bebê, ao detectar e diagnosticar qualquer pequena doença ou alteração. Muitas dessas descobertas, quando tratadas desde cedo, podem trazer mais qualidade de vida para a criança! Consulte! Gostou das dicas e das informações que foram dadas ao longo desse conteúdo? Quer ficar por dentro de outros artigos que, como esse, vão lhe auxiliar nos primeiros meses e anos da vida do seu filho? Aproveite e se inscreva para receber a nossa Newsletter! Curta, compartilhe e comente esse artigo. Saiba mais sobre o teste do olhinho ampliado. Nós, da Baby Eye Care Brasil, apoiamos o movimento a favor da saúde ocular dos bebês e acreditamos que o diagnóstico precoce é o único caminho para uma saúde oftalmológica completa. Você, como mãe ou pai, não gostaria de ter a chance de tratar o seu filho a tempo ou ao menos oferecer-lhe maior conforto? Contate-nos para mais informações: (11) 3171-3123 ou contato@babyeyecarebrasil.com.br. [caption id="attachment_309" align="aligncenter" width="544"]A Visão do bebê www.babyeyecarebrasil.com.br[/caption] Dr. Marcelo Alexandre Agra Cavalcante é Professor e Chefe do Setor de Retina Infantil, Cirurgia Pediátrica e Neonatal, telemedicina e Retinopatia da Prematuridade da Santa Casa de SP. Também Membro Internacional da Academia Americana de Oftalmologia, atualmente dedica-se como Diretor da Baby Eye Care-SP. [caption id="attachment_191" align="aligncenter" width="551"]A Visão do bebê Dr. Marcelo Alexandre Agra Cavalcante Costa[/caption]
Read more
os cuidados mais importantes com os olhos do bebê

06 cuidados mais importantes com os olhos do bebê

Os cuidados mais importantes com os olhos do bebê

Anteriormente, falamos sobre a visão do bebê e a sua evolução desde o nascimento. Nesse texto vamos explicitar os porque e enfatizar os cuidados que temos que ter com os olhos do recém-nascidos. Então vamos lá e não esqueça de curtir, comentar e compartilhar esse texto. E nos envie uma sugestão de texto, críticas e dúvidas : suporte@babyeyecarebrasil.com.br Será um prazer te atender. Boa leitura. [caption id="attachment_385" align="aligncenter" width="345"] Limpando os olhos do bebe[/caption]

1 - Cuidados gerais

Desde os primeiros momentos de vida, os cuidados com os olhos do bebê devem ser constantes. Como sabemos, a visão é um de nossos principais sentidos e toda a atenção com ela sempre vale a pena. Cabe aqui esclarecer um mito existente: muitas pessoas acreditam que problemas de visão costumam aparecer somente após a primeira década de vida. Isso não passa de ilusão! Mas a realidade é outra  e logo nos primeiros dias após o nascimento da criança eles podem surgir. Aliás, alguns problemas ocorrem até mesmo durante a gestação. No post de hoje trazemos algumas dicas e orientações sobre os principais cuidados que devemos ter com os olhos do bebê. Confira!

[caption id="attachment_387" align="aligncenter" width="412"]cuidados com os olhos do bebe Cuide da visão do seu bebe[/caption]  

 2 - A Limpeza dos olhos do recém-nascido

A limpeza dos olhos do bebê  em seus primeiros dias de vida é muito simples de ser feita. Portanto para isso, uma gaze esterilizada com soro fisiológico já é o suficiente. Contudo, precisamos ficar atentos para usar uma para cada olho. Afinal para limpar basta fazer movimentos de dentro para fora. Isto é, do canto nasal em direção à orelha, em um único movimento. Uma orientação interessante é aproveitar esse momento para fazer uma leve massagem no canto do olho para ajudar a desenvolver as vias do canal lacrimal. Pois isso é indicado porque esse canal lacrimal nos bebês ainda não está completamente desenvolvido, com isso, a lágrima acaba ficando estagnada no canto interno do globo ocular. E isso propicia a formação de um depósito de muco, uma das principais causas de irritação ocular nas crianças. Então  devemos limpar os olhos da criança ao menos uma vez por dia, fazer isso na hora do banho é uma boa dica!
[caption id="attachment_386" align="aligncenter" width="368"] cuidados com os olhos do bebe[/caption]  

3 - Enxugando corretamente

É muito importante que após o banho e a limpeza dos olhos do bebê eles sejam muito bem secos. Mas para fazer isso corretamente, basta apenas enrolar o dedo com uma toalha bem macia ou até mesmo uma fralda de pano, na sequência, é só ir pressionando levemente sobre a pálpebra de forma muito suave. Aliás, nunca devemos esfregar os olhinhos da criança nesse momento. [caption id="attachment_388" align="aligncenter" width="441"]cuidados com os olhos do bebe Enxugando os olhos do bebe[/caption]

4 - Cuidados com o pré-natal

Muitos pais acreditam que os primeiros cuidados com os olhos do bebê se iniciam após o nascimento. Na verdade enfim , a atenção para isso deve começar já durante o pré-natal. Ademais a medicina evoluiu muito e qualquer maternidade hoje tem exames que são realizados durante a gestação da criança, a finalidade de detectar se há ou não a presença de micro-organismos que possam prejudicar o sistema ocular do bebê. Doenças como toxoplasmose ou rubéola são identificadas nessa fase. Caso não sejam tratadas, o resultado na visão do bebê poderá ser muito grave. [caption id="attachment_390" align="aligncenter" width="469"]cuidados com os olhos do bebe Cuidados já no pré-natal[/caption]  

5 - Cuidados pós-parto - infância

A visão da criança ainda não está formada até o primeiro ano de vida. Aliás, ela continua se desenvolvendo durante seus primeiros anos. Mas logo no início, é recomendado que seja aplicado nos olhos do bebê um colírio de nitrato de prata. Isso é muito importante, pois a função desse medicamento é evitar que bactérias existentes no canal vaginal contaminem os olhos. [caption id="attachment_391" align="aligncenter" width="468"]Coisas que não devemos usar Colírio[/caption]

6 - Coisas que não devemos usar

Na hora de limpar os olhos do bebê todo cuidado é pouco. Em nenhuma situação devemos usar água boricada para esse fim. Vale lembrar que o uso dessa composição é restrita para adultos e crianças maiores de 12 anos. E ainda nessa situação, não deve ser usada no interior dos olhos. Outro cuidado igualmente importante é com o uso de cotonetes. Qualquer deslize ou movimento brusco pode machucar a visão da criança. Os cuidados com o recém-nascido e sua visão não estão restritos apenas a estes pontos. Ainda precisamos ter atenção ao desenvolvimento da visão e a sinais de possíveis problemas.

7 - Dicas para ajudar a desenvolver a visão da criança

Como já observamos, a visão de um recém-nascido ainda está em formação. Por exemplo, poucas pessoas sabem que inicialmente as crianças enxergam em tons de cinza e que elas percebem mais níveis de alto contraste. Assim é por isso que devemos ajudar no desenvolvimento da visão dos pequeninos. Então vejamos algumas dicas: [caption id="attachment_392" align="aligncenter" width="536"]cuidados com os olhos do bebe Estimular a visão[/caption]
  • Usar chocalhos, brinquedinhos e acessórios pendurados sobre o berço, ajuda a criança a se habituar e a definir melhor as imagens reconhecendo o movimento dos objetos;
  • Aproveitar o momento da amamentação para interagir com a criança, conversando com ela. Com o passar do tempo a visão vai se desenvolvendo até que ela consiga ter cada vez mais definição sobre o rosto da mãe;
  • Por volta dos 2 meses de idade a visão do bebê já se desenvolveu o suficiente para que ele consiga diferenciar cores. Nesse momento, apresentá-lo a brinquedos coloridos é uma boa ideia. Aliás, amarelo, azul e vermelho são os preferidos para essa finalidade;
  • A partir dos 4 meses a criança já tem uma noção melhor relacionada a distância e discernimento entre as coisas. Essa é uma ótima fase para brincar na cama com ela ajudando na concentração em objetos, pessoas e movimentos;
  • Fazer passeios com o bebê também auxilia no desenvolvimento de sua visão. Afinal, é tudo completamente novo para ele.
É importante ressaltar que nenhum desses cuidados essenciais são coisas difíceis de se fazer. Hoje, as próprias maternidades já oferecem ajuda para as mães de primeira viagem. No mais, o importante é sempre ter em mente que toda essa atenção, por mais simples que possa parecer, é que vai garantir saúde e vitalidade para que possa crescer de forma saudável e feliz. Por fim, a última e mais importante orientação é manter os exames do recém-nascido sempre em dia. E isso não apenas para exames oftalmológicos como outros procedimentos.

8 - A Baby Eye Care Brasil 

Nós, da Baby Eye Care, apoiamos o movimento a favor da saúde ocular dos bebês e acreditamos que o diagnóstico precoce é o único caminho para uma saúde oftalmológica completa. Você, como mãe ou pai, não gostaria de ter a chance de tratar o seu filho a tempo ou ao menos oferecer-lhe maior conforto? Contate-nos para mais informações: (11) 3171-3123 ou contato@babyeyecarebrasil.com.br. [caption id="attachment_309" align="aligncenter" width="584"] Ajudando seu filho a ter uma boa visão[/caption] Dr. Marcelo Alexandre Agra Cavalcante é Professor e Chefe do Setor de Retina Infantil, Cirurgia Pediátrica e Neonatal, telemedicina e Retinopatia da Prematuridade da Santa Casa de SP. Também Membro Internacional da Academia Americana de Oftalmologia, atualmente dedica-se como Diretor da Baby Eye Care-SP. [caption id="attachment_191" align="aligncenter" width="628"] Dr. Marcelo Agra Cavalcante Costa[/caption] Quer saber mais sobre esse tema e muito outros? Baixe grátis nosso E-book Exames para Recém-Nascidos e fique por dentro de tudo e saiba mais o que precisa ser feito nos primeiros dias de vida do seu filho! [caption id="attachment_399" align="aligncenter" width="751"] Exames recém-nascido Ebook gratuito - Exames para recém-nascidos - http://bit.ly/EbookRecém-Nascidos[/caption] Clique no link é grátis:  http://bit.ly/EbookRecém-Nascidos e baixe gratuitamente o ebook. não esqueça de curtir, comentar e compartilhar esse texto. E nos envie uma sugestão de texto, críticas e dúvidas: suporte@babyeyecarebrasil.com.br Será um prazer te atender.
Read more
Cuidados com o recém-nascido

Visão do bebê e a sua evolução.

1 - Visão do bebê

Todo mundo sabe que a visão do bebê não é a mesma, do que a de um adulto logo após o nascimento. Pelo contrário, é necessário algum tempo para que os olhos se desenvolvam e se adaptem passando a ver sem qualquer tipo de borrão. Mas, quanto tempo? O bebê enxerga desde o momento que abre os olhos pela primeira vez. A não ser que ele tenha algum problema visual, o que diferencia nessa fase é que ele não consegue absorver a todas as informações que estão ao seu redor. Aliás, leva algum tempo, meses que variam muito de criança para criança. Assim como todas as demais fases de desenvolvimento. Entenda ao longo deste artigo, como a visão do bebê vai mudando dia após dia e saiba ainda como estimular o seu bebê. Será que seu bebê está enxergando o suficiente para a sua fase? Essas e outras respostas, você confere a seguir.   [caption id="attachment_333" align="aligncenter" width="527"]A Visão do bebê A visão do bebê[/caption]

2 - Quando a visão do bebê deixa de ser “embaçada”?

[caption id="attachment_335" align="aligncenter" width="537"]A Visão do bebê embaçada. A Visão do bebê embaçada[/caption] A primeira e mais recorrente pergunta feita a respeito da visão do bebê é sobre quando ela finalmente deixa de ser turva. Pois bem, é por volta dos 6 aos 8 meses que a criança começa a ver com maior semelhança ao adulto. É claro que este tempo pode variar. Afinal, cada bebê tem o seu próprio ritmo, mas no geral é por volta dessa idade que costuma coincidir com a fase de ficar sentado, engatinhar e até mesmo levantar-se. Como a criança está “enxergando melhor” ela se permite começar com as traquinagens, por assim dizer. Ela vê com mais clareza o ambiente em que está inserido e por isso começa a fazer explorações em todos os lugares em que está. [caption id="attachment_349" align="aligncenter" width="570"]Visão do bebê e a nitidez. Visão do bebê e a sua nitidez[/caption]

3 - O desenvolvimento da visão do bebê

Quando nasce o bebê consegue distinguir a luz. Os movimentos e formas, bem como cores fortes, também costumam prender a sua atenção já que ele não consegue ver tudo o que está ao seu redor com nitidez. As pequenas distâncias são ótimas para que o bebê realmente enxergue algo. Seu campo de visão costuma ir de 20 a 30 centímetros no máximo. Essa distância é suficiente, por exemplo, para que o bebê grave o rosto de sua mamãe ao longo dos momentos de amamentação. Como a visão do bebê não se desenvolve rapidamente como a audição, que leva apenas um mês para estar completamente pronta, nas primeiras semanas será comum ver o bebê “vesguinho”, pois ele ainda não sabe usar os próprios olhos, e por isso não consegue focalizar os dois em uma mesma direção ou objeto. [caption id="attachment_350" align="aligncenter" width="629"]Visão do bebê com problema Visão do bebê com problema[/caption] Com dois ou três meses, entretanto, esse problema finalmente acaba. O bebê consegue seguir objetos com os seus olhos, especialmente se estiverem próximos a ele. Entre o segundo e o quarto mês é comum que a visão comece a distinguir melhor as cores diferenciando, por exemplo, um vermelho de um laranja. Também é por volta dos quatro meses que o bebê começa a desenvolver a percepção que indica se algo está perto ou longe, fase em que os braços costumam chacoalhar bastante em direção a diferentes objetos dentro de casa ou em outros lugares. [caption id="attachment_352" align="aligncenter" width="665"]Visão do bebê Visão do bebê[/caption] Dos cinco meses em diante até o completo desenvolvimento da visão, o bebê já enxerga pequenos objetos cada vez mais de longe. Procura, inclusive, chegar até aquilo que lhes interessa, momento em que começam a engatinhar, por exemplo.

4 - Como estimular e cuidar da visão do bebê?

Como se vê, o processo de desenvolvimento da visão do bebê é completamente natural e que tem toda uma lógica e tempo de espera. Sendo assim, não tem porque se preocupar excessivamente com o assunto. Entretanto, é claro que os pais podem, e até mesmo devem, estimular a visão do bebê com alguns truques que são bem simples. Vocês, na condição de pais e familiares, podem inclusive detectar, preliminarmente, algum tipo de problema visual. Veja a seguir o que fazer: [caption id="attachment_310" align="aligncenter" width="744"]Visão do bebê, estimular a visão. Visão do bebê, estimular a visão[/caption]

Use objetos para estimular que o bebê acompanhe

Desde cedo, aproxime objetos coloridos na frente do rosto do bebê e os movimente bem devagar a fim de que ele vá acompanhando com os olhos. Com o passar do tempo, aumente a velocidade desse trajeto, a distância e até mesmo o tamanho ou cor do objeto, a fim de verificar se o bebê continua a acompanhar com o olhar.

Invista em livros coloridos e com formas

Seu bebê pode ser bem novo, mas ainda assim ele precisa ter alguns livros bem coloridos e repletos de formas para que a sua estimulação visual não pare. A princípio, mostre o livrinho para ele e com o tempo o deixe manejar sozinho. [caption id="attachment_355" align="aligncenter" width="527"]Visão do bebê e como estimular Visão do bebê e como estimular[/caption]

6 - Não deixe o bebê excessivamente exposto a telas

Hoje em dia, infelizmente, muitos bebês passam horas de seu dia expostos a telas como celulares, computadores e aparelhos televisivos. Isso não faz bem para a saúde dos olhos! [caption id="attachment_356" align="aligncenter" width="553"]Visão do bebê e eletrônico Visão do bebê e eletrônico[/caption] Se possível, alguns desses eletroeletrônicos não devem nem sequer chegar perto das crianças menores de dois anos, por isso tenha muito cuidado!

7 - Leve o bebê a um especialista em oftalmologia pediátrica (Baby Eye Care Brasil)

Vale lembrar que é sempre bom precaver e cuidar. Por isso mesmo, hoje em dia os pais já podem recorrer a alguns exames e testes mais específicos que colaboram com a visão do bebê, ao detectar e diagnosticar qualquer pequena doença ou alteração. Muitas dessas descobertas, quando tratadas desde cedo, podem trazer mais qualidade de vida para a criança! Consulte! Gostou das dicas e das informações que foram dadas ao longo desse conteúdo? Quer ficar por dentro de outros artigos que, como esse, vão lhe auxiliar nos primeiros meses e anos da vida do seu filho? Aproveite e se inscreva para receber a nossa Newsletter! Curta, compartilhe e comente esse artigo. Saiba mais sobre o teste do olhinho ampliado. Nós, da Baby Eye Care Brasil, apoiamos o movimento a favor da saúde ocular dos bebês e acreditamos que o diagnóstico precoce é o único caminho para uma saúde oftalmológica completa. Você, como mãe ou pai, não gostaria de ter a chance de tratar o seu filho a tempo ou ao menos oferecer-lhe maior conforto? Contate-nos para mais informações: (11) 3171-3123 ou contato@babyeyecarebrasil.com.br. [caption id="attachment_309" align="aligncenter" width="544"]A Visão do bebê www.babyeyecarebrasil.com.br[/caption] Dr. Marcelo Alexandre Agra Cavalcante é Professor e Chefe do Setor de Retina Infantil, Cirurgia Pediátrica e Neonatal, telemedicina e Retinopatia da Prematuridade da Santa Casa de SP. Também Membro Internacional da Academia Americana de Oftalmologia, atualmente dedica-se como Diretor da Baby Eye Care-SP. [caption id="attachment_191" align="aligncenter" width="551"]A Visão do bebê Dr. Marcelo Alexandre Agra Cavalcante Costa[/caption]
Read more
WhatsApp Entre em contato