Archives for Sem categoria

Entenda como a saúde ocular no esporte é importante.

Como a saúde ocular no esporte é importante !

Como a saúde ocular no esporte é importante !

Todos os anos são registrados milhares de lesões oculares ligadas à prática de esportes e recreação em geral. Entretanto, manter a saúde ocular no esporte é possível em cerca de 90% dos casos desde que medidas simples, mas importantes para a prevenção, sejam tomadas. Quando falamos sobre saúde ocular nos esportes o ponto chave é observar que a lesão e a sua gravidade variam de acordo com a atividade esportiva realizada. A prevenção efetiva tem início ainda nessa fase bem inicial. O esportista precisa conhecer bem o esporte que está praticando e se certificar de que a proteção ocular usada para ele ou para os membros de sua família é a mais apropriada. Além disso, é preciso considerar que óculos comuns (de grau ou de sol) não oferecem nenhum tipo de proteção à visão sendo necessário tomar alguns cuidados extras!

Esportes de alto risco

Independente da idade, os esportes que exigem um maior nível de contato físico e tem mais impacto geralmente são os que mais provocam lesões oculares. Por exemplo, tênis, basquete e beisebol. Mas, esses estão apenas na base da pirâmide. Artes marciais, MMA e Boxe, por exemplo, são esportes um pouco mais complicados, pois deixam o praticante extremamente exposto às lesões graves sendo que em alguns caso pode-se haver a perda total da visão. Quem tem a visão reduzida em apenas um dos olhos precisa estar ainda mais atento uma vez que o risco de lesões no outro olho pode ser maior especialmente se o esporte praticado envolver raquetes e contato. E, apesar dos números de lesões relacionadas à prática de esportes ser grande eles não são os únicos responsáveis por tais riscos. Segundo uma pesquisa realizada pela Academia Americana de Oftalmologia e pela Sociedade Americana de Trauma Ocular cerca de 40% dos problemas oculares, (lesões) acontecem em casa enquanto a pessoa realiza algum trabalho de reparo, limpeza e até mesmo na cozinha. A dica básica é ter bom senso e se cuidar sempre, não importando a atividade a ser realizada.

Dicas para saúde ocular no esporte

Existem algumas ações práticas que podem aumentar o nível de proteção à saúde dos olhos dos esportistas enquanto praticam sua atividade preferida. A seguir, veja algumas orientações dadas pela Academia Americana de Oftalmologia. Acompanhe:
  • Mesmo que a liga esportiva não cobre o uso de itens de proteção é interessante que jovens que praticam esportes façam uso de máscaras, capacetes e lentes de policarbonato para a proteção da visão;
  • Esportistas que tenham a visão somente em um olho ou aqueles que têm menos de 20/40% de visão devem sempre usar óculos de proteção de acordo com o esporte que for praticado;
  • Quem tem lente de contato ou óculos de grau também deve usar óculos de proteção.
  • Esses itens não oferecem nenhum tipo de segurança quando algo atinge o olho.
  • Danificados ou não, é preciso ficar atento ao tempo de uso de óculos de proteção esportiva. Com o passar do tempo eles podem perder suas propriedades protetoras. Por isso, deve-se sempre observar as orientações do fabricante.
Por fim, o oftalmologista sempre deve ser consultado tanto em relação à saúde dos olhos no esporte quanto em momentos em que venham a surgir qualquer incômodos na visão. Quanto mais cedo a identificação do problema for feita, mais rápido e efetivo será o tratamento!
Read more
problemas oculares

Problemas oculares? Fotos podem ajudar…

Você sabia que as fotos podem ajudar no diagnóstico de problemas oculares?

Estar atento aos sinais de que algo não vai bem com a visão do seu filho é fundamental para a sua saúde e desenvolvimento. Porém, o diagnóstico e percepção de problemas oculares pode não ser assim tão simples, assim sendo importante estar atento a alguns detalhes. Hoje em dia, com a popularização das redes sociais, tirar fotos de bebês e crianças para postar no Instagram e Facebook tem se tornado uma atitude comum. O que os pais certamente não saibam é que as fotos são grandes aliadas na detecção precoce de problemas oculares. Isso porque o reflexo do flash da câmera pode revelar problemas de visão comuns ou raros. Basta observar com atenção como os olhos das crianças e bebês reagem ao flash da câmera fotográfica. Logo abaixo você confere algumas dicas e informações sobre como as fotos podem ajudar no diagnóstico de doenças oculares. [caption id="attachment_859" align="aligncenter" width="463"]Problema Oculares Problema Oculares[/caption]

Porque as fotos revelam problemas oculares?

O reflexo vermelho nos dois olhos em fotografias, certamente na maior parte dos casos, indica que a retina do bebê está saudável. Pois esta região do olho possui um intenso fluxo de sangue, que acaba sendo iluminado através do flash da câmera. O reflexo vermelho fora do padrão ocorre quando a retina, ao ser iluminada pelo flash, reflete na cor branca, amarela ou preta, podendo ser notada em um ou nos dois olhos do bebê. Os pais devem estar atentos aos sinais de anomalias e problemas oculares que podem ser vistos através das fotos, mas o diagnóstico correto só pode ser dado por um oftalmopediatra. Além disso, a qualidade da foto e as condições nas quais a mesma foi tirada, também auxiliam no diagnóstico preciso de problemas de visão nos pequenos. Para isso certifique-se de que:
  • O bebê esteja olhando diretamente para a lente da câmera no momento da foto;
  • O flash da câmera deve estar ligado;
  • A luz de fundo deve ser fraca;
  • Desligue a função de redução de olhos vermelhos.

Por que reflexo branco, amarelo ou preto representam problemas oculares?

Como mencionado anteriormente, o reflexo vermelho nos dois olhos, normalmente indicam que está tudo bem com a visão do bebê. Porém, se o reflexo vermelho for menos intenso ou só aparecer em um dos olhos, este pode ser um sinal de estrabismo. O estrabismo, ou desalinhamento da visão, ocorre quando os olhos não conseguem fixar o mesmo ponto ao mesmo tempo. O tratamento do estrabismo pode incluir o uso de óculos ou cirurgia de correção. Se detectado precocemente, os tratamentos para o estrabismo possuem excelentes resultados. Já o reflexo branco em um dos olhos pode ser sinal de doenças como: catarata, infecção ocular e descolamento da retina. Além disso, o reflexo branco em um dos olhos do bebê pode ser um sinal de retinoblastoma, um câncer ocular raro, que quando detectado precocemente possui grandes chances de cura. aliás, o reflexo ocular amarelo pode indicar uma doença de Coats, ademais a condição  afeta o desenvolvimento dos vasos sanguíneos presentes nos olhos, que se não tratada pode levar ao descolamento da retina. Caso você tenha notado alguma anormalidade na visão do seu pequeno, procure um oftalmopediatra para um diagnóstico mais preciso. Quando detectadas precocemente, os problemas oculares possuem grandes chances de cura. Consulte a Baby Eye Care e saiba mais! [caption id="attachment_860" align="aligncenter" width="500"]Problema Oculares Problema Oculares[/caption]

BABY EYE  CARE BRASIL

Nós, da Baby Eye Care Brasil, apoiamos o movimento a favor da saúde ocular dos bebês afinal  acreditamos que o diagnóstico precoce é o único caminho para uma saúde oftalmológica completa. [caption id="attachment_848" align="aligncenter" width="475"]Exames Oftalnológicos Exames Oftalmológicos[/caption] Gostaria de ter a chance de tratar o seu filho a tempo ou ao menos oferecer-lhe maior conforto? Contate-nos para mais informações: (11) 3171-3123 ou contato@babyeyecarebrasil.com.br. [caption id="attachment_191" align="aligncenter" width="450"]Dr. Marcelo Agra Cavalcante Costa - Diretor da Baby Eye Care Brasil Dr. Marcelo Agra Cavalcante Costa - Diretor da Baby Eye Care Brasil[/caption] Professor e Chefe do Setor de Retina Infantil. Cirurgia Pediátrica e Neonatal, telemedicina e Retinopatia da Prematuridade da Santa Casa de SP.  Também Membro Internacional da Academia Americana de Oftalmologia, atualmente dedica-se como Diretor da Baby Eye Care-SP.
Read more
Miopia Infantil

Miopia infantil: Tempo ao ar livre pode reduzir as chances do aparecimento da doença.

Miopia infantil: Tempo ao ar livre pode reduzir as chances do aparecimento da doença

Você sabe o que é miopia infantil e quais as formas de reduzir as chances do aparecimento dessa doença nas crianças? Se não sabe ao certo, fique tranquilo! É comum que mamães e papais de primeira viagem tenham dúvidas sobre o assunto! Ao contrário do que você poderia imaginar, a miopia não afeta somente a visão dos adultos. É muito comum que as crianças também sejam prejudicadas com esse problema na visão. No entanto, é mais difícil de perceber entre os pequenos já que muitas vezes eles não falam ou até mesmo não sabem que estão com dificuldade para enxergar. Mas, você está no lugar certo! Aqui você entenderá o que é miopia infantil, quais são os sintomas e como você pode ajudar a prevenir essa doença ao deixar a criança mais ao ar livre. É isso mesmo! Um estudo recente mostrou que passar um tempo ao ar livre pode ser essencial para uma boa saúde ocular, desde que evite a superexposição à luz solar, é claro. Continue lendo este artigo e saiba tudo o que precisa sobre a miopia infantil!

O que é miopia infantil?

Antes de qualquer coisa é importante entender o que é a miopia, isso vale tanto para crianças quanto para adultos. A miopia é um erro do globo ocular, no qual a imagem dos objetos é focada incorretamente. Ou seja, a luz não é focalizada da forma certa e isso faz com que o portador tenha dificuldades para enxergar objetos distantes. Na miopia a imagem dos objetos não é formada na retina, como é o correto, mas sim à frente da retina. Com isso, a imagem transmitida ao cérebro acaba não correspondendo à imagem correta, sofrendo alterações que prejudicam a visão real de formatos, por exemplo.

Quais são os principais sintomas?

O principal sintoma da miopia é não enxergar bem de longe. Uma criança míope, por exemplo, vê claramente os objetos próximos, mas os distantes ficam turvos. Entretanto, deixar os olhos um pouco fechados pode amezinhar o problema momentaneamente e isso acaba confundindo as crianças. A maneira mais fácil de diagnosticar miopia infantil é na escola, visto que as crianças com esse problema acabam não enxergando muito bem a lousa dependendo do local em que estiverem sentadas. É importante ficar atento e contar com os professores nessa descoberta!

Como é feito o tratamento da doença?

A miopia não tem cura. Sendo assim, o tratamento, ou melhor, a correção deve ser feita através do uso dos óculos até os 15 anos e a partir dessa idade por meio de lentes de contato. Vale destacar ainda que é muito comum também que com o passar do tempo o grau de miopia acabe aumentando, já que esta é considerada como uma doença progressiva.

Existe alguma forma de prevenir a miopia infantil?

Há uma forma de prevenir a doença antes que ela apareça. Um estudo mostrou que a luz natural – do sol – pode ser essencial para o desenvolvimento normal dos olhos nas crianças. Esse tempo ao ar livre pode reduzir o risco da miopia infantil – há cada hora adicional que a criança passa no ambiente externo, o risco de desenvolver miopia é diminuído em aproximadamente 2%. Um dos fatores para isso acontecer também é o fato de que estando ao ar livre as crianças não ficam em computadores, por exemplo, um enorme vilão para a saúde ocular. É claro que passar muito tempo ao ar livre sem proteção dos raios ultravioletas (UV) pode causar danos aos olhos e à pele. Por isso deve ser com o cuidado necessário. Ainda assim, incentive a criança a passar mais tempo brincando ao ar livre e deixar os aparelhos eletrônicos de lado por um momento e reduza os riscos da miopia infantil. Gostou das dicas? Compartilhe esse conteúdo com outras mamães, será muito importante!
Nós, da Baby Eye Care Brasil, apoiamos o movimento a favor da saúde ocular dos bebês e acreditamos que o diagnóstico precoce é o único caminho para uma saúde oftalmológica completa. [caption id="attachment_848" align="aligncenter" width="475"]Exames Oftalnológicos Exames Oftalmológicos[/caption] Gostaria de ter a chance de tratar o seu filho a tempo ou ao menos oferecer-lhe maior conforto? Contate-nos para mais informações: (11) 3171-3123 ou contato@babyeyecarebrasil.com.br.
[caption id="attachment_191" align="aligncenter" width="450"]Dr. Marcelo Agra Cavalcante Costa - Diretor da Baby Eye Care Brasil Dr. Marcelo Agra Cavalcante Costa - Diretor da Baby Eye Care Brasil[/caption] Dr. Marcelo Alexandre Agra Cavalcante é Professor e Chefe do Setor de Retina Infantil. Cirurgia Pediátrica e Neonatal, telemedicina e Retinopatia da Prematuridade da Santa Casa de SP. Também Membro Internacional da Academia Americana de Oftalmologia, atualmente dedica-se como Diretor da Baby Eye Care-SP.
Read more
Triagem Ocular Infantil

Triagem Ocular Infantil

Triagem ocular infantil: Conheça esse procedimento e entenda sua importância para a saúde ocular de seu filho!

A triagem ocular infantil é um gesto, um cuidado de amor com os olhos do seu filho. Indispensável desde as primeiras horas de vida, o que muitos pais não sabem é que necessário acompanhar o desenvolvimento da visão da criança a fim de garantir que ela ocorra bem. Você sabia, por exemplo, que é necessário fazer exames a cada nova fase da criança? Tem ideia do quanto é importante passar pela triagem ocular infantil? Veja neste conteúdo mais informações sobre o assunto.

Quais exames fazer para a triagem?

Basicamente, os exames realizados na triagem ocular infantil são diferenciados por faixas etárias. Confira a seguir quais são e porque você, como mãe ou pai, devem assumir uma postura de prevenção e cuidado. Continue lendo!

Neonatos

Muita gente não sabe, mas os primeiros exames oculares da vida da criança já devem ser feitos ao longo de suas primeiras horas de vida. Apesar de poder ser feito por profissionais da pediatria, indica-se sempre a procura por um especialista ocular. O exame de reflexo vermelho, que é mais comum, não é completo, porém dispõe de várias ferramentas que podem identificar problemas existentes ou até mesmo futuros. Para uma avaliação ainda mais completa no bem-estar do pequeno, o teste do olhinho ampliado é indispensável antes de qualquer diagnóstico seguro.

Bebês

Ainda tratando-se dos bebês, sempre que possível prefira ouvir duas ou mais avaliações e indicações quando se fala em triagem ocular infantil. Nesta fase um problema ocular pode realmente impactar e influenciar negativamente no processo de aprendizagem, enquanto que a descoberta precoce possibilita tratamentos e cuidados que farão a diferença. Durante os primeiros dois anos de vida, a indicação é que a família leve a criança de uma a duas vezes por ano ao oftalmologista a fim de conferir se a capacidade ocular está se desenvolvendo tal como esperado.

Fase pré-escolar

Fase pré-escolar Entre 3 anos e 5 anos  é indispensável mais uma vez que a criança passe novamente por uma triagem ocular infantil a fim de que sejam verificadas, entre outras, a acuidade visual, ou seja, a clareza da visão, e ainda a possibilidade da existência de estrabismo, miopia, hipermetropia, astigmatismo. Essa avaliação é importante visto que na fase escolar a criança passa a forçar um pouco mais a sua visão para olhar para a lousa e também realizar diferentes atividades.

Fase escolar

Mas, é na fase escolar que, de fato, muitas crianças são diagnosticadas com problemas oculares. Isso porque a maior parte das famílias ainda não entendeu a importância de todo este acompanhamento que antecede a essa fase. Geralmente as crianças chegam à escola sem nunca ter visitado um oftalmologista. São os professores que começam a notar as dificuldades para enxergar a lousa de perto ou de longe. Após perceber tais problemas, é comum que a escola comunique os pais que, então procuram ajuda profissional. Todavia, destaca-se: quanto antes melhor, sempre! A triagem ocular infantil é um passo importante em direção à garantia de uma saúde oftalmológica melhor. E, tratando-se de bebês e crianças, a Baby Eye Care é uma grande referência. Com todos os principais exames de visão, aproveite para entrar em contato e agende um horário para o seu filho!
Nós, da Baby Eye Care Brasil, apoiamos o movimento a favor da saúde ocular dos bebês e acreditamos que o diagnóstico precoce é o único caminho para uma saúde oftalmológica completa. [caption id="attachment_848" align="aligncenter" width="475"]Exames Oftalnológicos Exames Oftalmológicos[/caption] Gostaria de ter a chance de tratar o seu filho a tempo ou ao menos oferecer-lhe maior conforto? Contate-nos para mais informações: (11) 3171-3123 ou contato@babyeyecarebrasil.com.br.
[caption id="attachment_191" align="aligncenter" width="450"]Dr. Marcelo Agra Cavalcante Costa - Diretor da Baby Eye Care Brasil Dr. Marcelo Agra Cavalcante Costa - Diretor da Baby Eye Care Brasil[/caption] Dr. Marcelo Alexandre Agra Cavalcante é Professor e Chefe do Setor de Retina Infantil. Cirurgia Pediátrica e Neonatal, telemedicina e Retinopatia da Prematuridade da Santa Casa de SP. Também Membro Internacional da Academia Americana de Oftalmologia, atualmente dedica-se como Diretor da Baby Eye Care-SP.
Read more
Teste do Olhinho Ampliado

Teste do Olhinho Ampliado X Teste do Olhinho Vermelho

1 - Exames após o nascimento

[caption id="attachment_804" align="aligncenter" width="324"]Teste do olhinho Teste do olhinho[/caption] Assim que um bebê nasce são realizados diversos exames a fim de prevenir doenças e constatar possíveis alterações que precisem de cuidados médicos. O teste do olhinho simples faz parte dessa série de exames e serve para detectar possíveis disfunções oculares no recém-nascido, tratando-as rapidamente. O exame pode ser feito ao longo das primeiras semanas de vida do bebê, entretanto o recomendado é que seja feito antes mesmo do recém-nascido sair da maternidade. Dessa forma, caso haja alguma anomalia é possível realizar os procedimentos necessários em tempo, evitando sequelas mais graves. O teste do olhinho vermelho é um exame realizado ainda na maternidade que pode ser feito por uma pessoa da saúde que muitas vezes não se trata de um oftalmologista pediátrico. Ademais trata-se de um exame mais simples comparado com o exame do olhinho ampliado. O exame do olhinho vermelho ou simples muitas vezes não é capaz de detectar uma futura doença que pode se manifestar. Ainda o teste do olhinho ampliado por se tratar de um exame que analisa imagens e  é superior e é realizado por meio de um aparelho com tecnologia mais avançada capaz de trazer resultados ainda mais precisos.

2 - Teste do Olhinho Vermelho X Teste do Olhinho Ampliado

[caption id="attachment_805" align="aligncenter" width="275"]Teste do olhinho ampliado Teste do olhinho ampliado[/caption] Diferente do teste do pezinho, o teste do olhinho Ampliado não é tão conhecido no universo da maternidade. Mas é de de extrema importância e tem a função de prevenir e detectar doenças patológicas oculares. Quer saber mais sobre esse exame? Precisa entender as diferenças entre o teste do olhinho simples e o ampliado assim como a sua importância? Continue sua leitura e confira detalhes do assunto. O que é o teste do olhinho simples? O teste do olhinho simples, conhecido também como teste do reflexo vermelho, é um exame normalmente oferecido pelo SUS e serve para detectar e prevenir possíveis doenças patológicas oculares. Algumas dessas doenças são: glaucoma, alterações de retina, Retinoblastoma (tumor de retina), conjuntivite e catarata congênita. Essas doenças são as mais comuns na infância. O exame deve ser feito nas primeiras semanas de vida do recém-nascido, de preferência antes da alta da maternidade, com o bebê já que assim fica mais fácil realizar algum procedimento caso seja necessário. O teste do olhinho vermelho  é realizado pelo pediatra, oftalmologista ou qualquer médico devidamente treinado para realizar o procedimento. Por ser um exame simples, por isso algumas doenças acabam não sendo diagnosticadas.

1 – por ausência de um especialista;

2 – Por isso o exame do olhinho simples “vermelho” está sendo substituído pelo exame do olhinho “ampliado”, exame mais moderno e mais eficaz, mas infelizmente não fornecido pelo SUS.

3 - Por que o teste do olhinho “AMPLIADO" é importante?

[caption id="attachment_806" align="aligncenter" width="300"]Teste do Olhinho Ampliado Teste do Olhinho Ampliado[/caption] O teste do olhinho ampliado é importante, pois tem a finalidade de prevenir e identificar doenças oculares patológicas que muitas vezes o exame do Olhinho Vermelho ou Simples não diagnostica. O exame é indicado a fazer já nas primeiras semanas de vida do bebê. Afinal dessa maneira, caso haja qualquer anomalia, ela poderá ser descoberta precocemente e tratada de forma rápida. É muito importante levar o bebê para acompanhamento com o oftalmologista nos primeiros anos de vida. Isso porque existem diversas doenças oculares que podem passar despercebidas pelos pais e que se não tratadas, podem trazer problemas futuros difíceis de serem resolvidos. Isso acontece porque as alterações que acontecem na fase inicial das crianças podem acarretar prejuízos no desenvolvimento de sua capacidade visual. Caso essas doenças se desenvolvam sem a percepção de um adulto podem levar até mesmo à cegueira irreversível. Muitos dos casos de cegueira ou de sequelas na visão poderiam ter sido revertidas ou tratadas caso o diagnóstico tivesse sido feito ainda nessa fase. Por isso, realizar o exame do olhinho Ampliado é muito importante para manter saudável e segura a saúde ocular infantil.

Diferenças entre teste do olhinho simples e teste do olhinho ampliado.

O teste do olhinho ampliado é mais detalhado do que o teste do olhinho simples ou vermelho; E ainda mais tecnológico e por consequência mais avançado. O exame ampliado também é realizado de forma simples e indolor. Assim como o teste do olhinho simples. A diferença é que o teste do olhinho ampliado é feito com aparelho digital de última geração utilizado para tratamentos de doenças oculares neonatais. O aparelho tem a função de capturar imagens — fotos e vídeos — de alta definição dos olhos do bebê. Depois de realizado o exame, as imagens serão verificadas por um médico oftalmologista. A maior diferença entre os testes é a tecnologia, já que o teste do olhinho ampliado conta com um programa digital avançado comparado ao exame do olhinho simples que é realizado com o oftalmoscópio manualmente. Além de ser feito por um especialista.

4 - Porque o Teste do Olhinho Ampliado?

Mas, você deve estar pensando: “Será que o teste do olhinho simples não é suficiente?” A diferença é que o teste do olhinho simples muitas vezes não é realizado pelo próprio oftalmologista. Além disso, ele pode não identificar com tanta facilidade determinadas disfunções visuais, levando ao agravamento da doença e consequentemente ocasionando a perda da visão. E ainda o exame do olhinho vermelho não utiliza a tecnologia como o Ampliado. Veja abaixo as vantagens do exame do olhinho ampliado:
  • O exame é mais preciso;

  • Diagnostica e trata de forma precoce várias doenças oculares;

  • As imagens são avaliadas por especialistas em doenças oculares em crianças.

Confira também quais doenças que são diagnosticadas precocemente a partir do teste do olhinho ampliado:
  • Retinopatia de prematuridade;

  • Catarata congênita;

  • Tumores de retina (Retinoblastoma);

  • Infecções e hemorragias da retina;

  • Malformações congênitas dos olhos.

Os esforços deste exame são para detectar doenças oculares nos bebês e auxiliar a família quanto à melhor forma de tratamento. Certamente todo esse esforço promove a estimulação visual da criança. O teste do olhinho ampliado permite ainda observar o desenvolvimento ocular do recém-nascido e verificar se está normal. É claro que o teste do olhinho ampliado não irá evitar que a criança possa desenvolver problemas oculares futuros. Entretanto, as imagens de alta definição permitem que as doenças oculares sejam diagnosticadas precocemente. Possibilita assim o tratamento adequado e aumentando as chances de uma completa reabilitação. O teste do olhinho ampliado não é oferecido no sistema SUS. Porém a sua eficiência e tecnologia em diagnosticar doenças e tratá-las ainda na fase inicial fazem com que muitas pessoas optem por fazê-lo mesmo sendo pago. Em resumo, o teste do olhinho ampliado visa oferecer benefícios à criança e a família em relação à precocidade do diagnóstico da doença. A Baby Eye Care oferece o teste do olhinho ampliado e muitos outros exames para a saúde ocular da criança. Entre em contato agora mesmo com os profissionais e agende o exame do seu bebê!
Nós, da Baby Eye Care Brasil, apoiamos o movimento a favor da saúde ocular dos bebês e acreditamos que o diagnóstico precoce é o único caminho para uma saúde oftalmológica completa [caption id="attachment_309" align="aligncenter" width="476"]logo da baby eye care brasil - centro oftalmológico infantil Baby Eye Care Brasil - Centro Oftalmológico Infantil[/caption] Gostaria de ter a chance de tratar o seu filho a tempo ou ao menos oferecer-lhe maior conforto? Contate-nos para mais informações: (11) 3171-3123 ou contato@babyeyecarebrasil.com.br.
[caption id="attachment_191" align="aligncenter" width="450"]Dr. Marcelo Agra Cavalcante Costa - Diretor da Baby Eye Care Brasil Dr. Marcelo Agra Cavalcante Costa - Diretor da Baby Eye Care Brasil[/caption] Dr. Marcelo Alexandre Agra Cavalcante é Professor e Chefe do Setor de Retina Infantil. Cirurgia Pediátrica e Neonatal, telemedicina e Retinopatia da Prematuridade da Santa Casa de SP. Também Membro Internacional da Academia Americana de Oftalmologia, atualmente dedica-se como Diretor da Baby Eye Care-SP.
Read more
Percepção de profundidade

O que é percepção de profundidade e para que serve?

O que é percepção de profundidade e para que serve? A chamada percepção de profundidade é a capacidade de ver objetos em três dimensões (profundidade, comprimento e largura), além de analisar e definir a distância entre o observador e aquilo que é observado. [caption id="attachment_646" align="aligncenter" width="300"]Percepção e Profundidade Percepção e Profundidade[/caption]

A visão estereoscópica

Entretanto, já sabemos que os seres humanos têm uma visão binocular. Isto é, enxergamos as coisas devido à junção do trabalho do olho direito com o olho esquerdo. Aliás, essa adaptação evolutiva traz uma série de benefícios para os seres humanos. Por exemplo, se tivermos um olho com problemas a visão continuará, uma vez, contudo,  que o olho sadio fará uma espécie de compensação para equilibrar a situação. Mas não é somente isso que torna tão evidente a importância da visão binocular para nós humanos. Na realidade, é somente devido a ela que podemos ter a noção de profundidade, característica que é chamada de estereopsia. Ademais todo esse processo ocorre dentro de nosso cérebro. As imagens produzidas pelo olho esquerdo e pelo direito são processadas pelo nosso cérebro que as analisa e compara para formar apenas uma, com percepção de profundidade. [caption id="attachment_647" align="aligncenter" width="327"]A visão estereoscópica A visão estereoscópica[/caption]

A importância da estereopsia

É inquestionável o fato de que sem a percepção de profundidade o desenvolvimento humano estaria muito prejudicado. Quando observamos o histórico humano vamos perceber que a evolução e o progresso devem muito a estereopsia. Por exemplo, sem ela nossos ancestrais enfrentariam muito mais problemas e dificuldades para criarem ferramentas e bens que contribuíram para a formação da civilização moderna. Sem essa visão 3D humana, atividades simples e corriqueiras seriam extremamente afetadas: passar uma linha no fundo da agulha, estacionar o carro ou pegar uma bola. Aliás, nem sequer cirurgias seriam realizadas, já que os médicos precisam ter noção de tamanho e distância para realizá-las. É interessante ressaltar que a percepção de profundidade está intimamente relacionada com o correto alinhamento dos olhos, além da perfeita unificação das imagens realizada pelo cérebro. [caption id="attachment_648" align="aligncenter" width="284"]A importância da estereopsia A importância da estereopsia[/caption]    

Dificuldades relacionadas à percepção de profundidade

Pessoas que dependem muito da visão de apenas um olho, isto é, da visão monocular, geralmente apresentam dificuldades na noção de profundidade. Entretanto, para aquelas que sempre tiveram uma boa visão em um dos olhos pode não ser tão difícil o processo de percepção de profundidade. Na realidade, isso acontece porque o cérebro dessas pessoas encontrou uma forma de se ajustar e criar maneiras para lidar com as informações limitadas recebidas de um dos olhos. Alguns dos principais problemas de visão que podem interferir na percepção de profundidade são o estrabismo, visão turva (em um olho), problemas relacionados ao nervo óptico, trauma em um dos olhos e ambliopia. [caption id="attachment_649" align="aligncenter" width="376"]Dificuldades relacionadas à percepção de profundidade Dificuldades relacionadas à percepção de profundidade[/caption] Agora que vimos o que é e como funciona a percepção de profundidade, confira mais alguns fatos sobre o olho humano:
  • A retina enxerga tudo de ponta de cabeça.
  • É o cérebro o grande responsável por adaptar as imagens para que as enxerguemos corretamente.
  • As imagens nunca chegam prontas.
  • Elas sempre são cortadas pela metade e distorcidas.
  • Novamente, é o cérebro que une as duas metades para que a composição seja correta.
  • Por mais incrível que pareça, os olhos humanos conseguem distinguir cerca de 50 mil tons de cinza.
Por fim, sempre é interessante lembrar que qualquer problema envolvendo a percepção de profundidade, ou qualquer outro aspecto da saúde da visão, deve ser analisado e tratado por profissionais capacitados na área. Ir frequentemente ao oftalmologista, não é exagero, sim precaução. Hoje em dia os pais já podem recorrer a exames e testes mais específicos, dessa forma, é possível garantir uma vida feliz e saudável para a criança. Esses exames são capazes de detectar e diagnosticar qualquer pequena doença ou alteração, assim prevenindo problemas futuros. Muitas dessas descobertas, quando tratadas desde cedo, podem trazer mais qualidade de vida para a criança! Consulte! Gostou das dicas e das informações que foram dadas ao longo desse conteúdo? Quer ficar por dentro de outros artigos? Como esse, eles vão lhe auxiliar nos primeiros meses e anos da vida do seu filho! Aproveite e se inscreva para receber a nossa Newsletter! Curta, compartilhe e comente esse artigo. Saiba mais sobre o teste do olhinho ampliado. Nós, da Baby Eye Care Brasil, apoiamos o movimento a favor da saúde ocular dos bebês e acreditamos que o diagnóstico precoce é o único caminho para uma saúde oftalmológica completa. Gostaria de ter a chance de tratar o seu filho a tempo ou ao menos oferecer-lhe maior conforto? Contate-nos para mais informações: (11) 3171-3123 ou contato@babyeyecarebrasil.com.br. A Visão do bebê www.babyeyecarebrasil.com.br
Dr. Homero Augusto de Miranda II é formado pela Faculdade de Medicina da Santa Casa da São Paulo em 1994, onde também fez sua residência e fellowship (Hospital Santa Casa em São Paulo). Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e Academia Americana de Oftalmologia. [caption id="attachment_201" align="aligncenter" width="459"]Dr. Homero Dr. Homero[/caption]
 
Read more
Luz Azul

Luz azul: Será que a luz de dispositivos eletrônicos realmente faz mal?

A luz azul é aquela que ficamos expostos sempre que olhamos para algum dispositivo eletrônico por longos períodos, Seja ele celular, aparelhos de televisão, notebooks e computadores. Ademais, na era da informação, onde cada vez mais cedo os bebês e crianças começam a ser expostos a luz azul. Afinal cresce cada vez mais  o número de pessoas que desejam saber se a luz do celular ou do computador realmente fazem mal a visão.

1 - Luz Azul, fadiga ocular digital

Ainda não existe nenhuma evidência científica de que a luz de aparelhos eletrônicos, Seja prejudicial para a visão dos seres humanos. Mas, apesar de não existirem provas científicas sobre o assunto, Mas muitas pessoas se queixam de alguns desconfortos nos olhos depois de ficarem muito tempo expostos a luz de celulares, televisões e computadores. O desconforto visual provocado pela luz azul é chamado de fadiga ocular digital. Que basicamente ocorre devido ao fato de que piscamos menos vezes quando estamos expostos a esse tipo de luz, e em decorrer disso, os olhos ficam secos e cansados. Estima-se que os seres humanos pisquem em média 18 vezes por minuto. Mas quando estamos na frente de aparelhos eletrônicos, esse número cai para a metade.

2 - Luz Azul, dificuldades de sono

Frequentemente o estímulo visual emitido pela luz azul de celulares e computadores, Pode provocar distúrbios de sono, tendo em vista que ela desperta e estimula partes específicas do nosso cérebro. O ideal é que pelo menos duas horas antes de ir para cama, A exposição as telas seja limitada e restrita a apenas situações de emergências. Pois assim a garantia de uma boa noite de sono é significativamente maior. Além disso, a sensação de cansaço e ardência nos olhos pode aumentar de forma significativa quando estamos sonolentos, Podendo causar infecções e inflamações oculares, principalmente no caso de pessoas que usam lentes de contato.

3 - Luz azul do sol

A luz azul está frequentemente associada com os dispositivos eletrônicos, Mas a maior fonte de emissão de luz azul existente no mundo é a luz emitida pelo Sol. Lâmpadas fluorescentes e de LED também emitem este tipo de luz. Apesar do cansaço visual, até o momento as pesquisas em torno deste assunto ainda estão em fase de estudo Sendo a luz azul relativamente mais inofensiva que a luz ultravioleta emitida pelo Sol, que pode causar catarata, câncer ocular e outros tumores.

4 -Luz Azul, como evitar a fadiga ocular

Veja algumas dicas que podem te ajudar a evitar a fadiga ocular: A cada 20 minutos, faça um pequeno intervalo e foque em objetos que estejam a uma certa distância de você. O fato de você ter que focar em um objeto diferente o fará piscar e descansar os olhos da exposição constante a luz. Sente em frente ao computador a uma distância de aproximadamente 25 polegadas. O ideal é que a tela seja ligeiramente posicionada para baixo, pois assim a emissão de luz direta é diminuída. Esteja atento para a quantidade de vezes que você pisca quando está exposto as luzes de aparelhos digitais, Pois isso evita que seus olhos fiquem secos.

5 - Leve o bebê a um especialista em oftalmologia pediátrica (Baby Eye Care Brasil)

Vale lembrar que é sempre bom precaver e cuidar. Por isso mesmo, hoje em dia os pais já podem recorrer a alguns exames e testes mais específicos que colaboram com a visão do bebê, ao detectar e diagnosticar qualquer pequena doença ou alteração. Muitas dessas descobertas, quando tratadas desde cedo, podem trazer mais qualidade de vida para a criança! Consulte! Gostou das dicas e das informações que foram dadas ao longo desse conteúdo? Quer ficar por dentro de outros artigos que, como esse, vão lhe auxiliar nos primeiros meses e anos da vida do seu filho? Aproveite e se inscreva para receber a nossa Newsletter! Curta, compartilhe e comente esse artigo. Saiba mais sobre o teste do olhinho ampliado. Nós, da Baby Eye Care Brasil, apoiamos o movimento a favor da saúde ocular dos bebês e acreditamos que o diagnóstico precoce é o único caminho para uma saúde oftalmológica completa. Você, como mãe ou pai, não gostaria de ter a chance de tratar o seu filho a tempo ou ao menos oferecer-lhe maior conforto? Contate-nos para mais informações: (11) 3171-3123 ou contato@babyeyecarebrasil.com.br. [caption id="attachment_309" align="aligncenter" width="544"]A Visão do bebê www.babyeyecarebrasil.com.br[/caption] Dr. Marcelo Alexandre Agra Cavalcante é Professor e Chefe do Setor de Retina Infantil, Cirurgia Pediátrica e Neonatal, telemedicina e Retinopatia da Prematuridade da Santa Casa de SP. Também Membro Internacional da Academia Americana de Oftalmologia, atualmente dedica-se como Diretor da Baby Eye Care-SP. [caption id="attachment_191" align="aligncenter" width="551"]A Visão do bebê Dr. Marcelo Alexandre Agra Cavalcante Costa[/caption]
Read more
Olhos do bebê remelando

Olhos do bebê remelando: Devo ficar preocupada e o que fazer?

 

1 -Olhos do bebê remelando: Devo ficar preocupada e o que fazer?

    [caption id="attachment_503" align="aligncenter" width="402"]Olhos do bebê remelando Olhos do bebê remelando[/caption] Olhos do bebê remelando, a chegada de uma nova vida traz muitas dúvidas e incertezas para toda a família. Aliás lembrando que o bebe já quando nasce possui um grande compromisso com vários testes exemplo: teste do pezinho. Completamente dependente dos pais, o recém-nascido é o centro das atenções e principal motivo das preocupações também. E posteriormente nesse artigo você verá uma das dúvidas comuns dessa fase sendo respondida: Olho do bebê com remelas, é normal? E o que fazer? afinal na vida adulta um olho remelando pode significar o começo de uma conjuntivite. Ou pode ser algum tipo de infecção? Mas não apenas essas moléstias, Porque na vida de um bebê pode significar também um tipo de entupimento no canal lacrimal. O entupimento lacrimal  é muito mais comum do que a maioria das pessoas escuta falar ou imagina. É imprescindível ter calma! O olho do bebê remelando pode ou não significar algo. Deve-se entender o assunto antes de sair por aí correndo para o hospital. Ou ainda deixar o olho do seu filho sem qualquer tipo de cuidado especial por julgar ser algo simples. Achou o assunto interessante? Então continue lendo este conteúdo e tire todas as suas dúvidas referentes ao tema. Saiba quando é necessário ir em busca de uma ajuda profissional especializada e veja ainda como cuidar de um olho de bebê com remelas.

2 - Olhos do bebê remelando: Por que isso acontece?

[caption id="attachment_506" align="aligncenter" width="360"]http://blog.coioftalmologia.com.br/olhos-dos-bebes-lacrimejando-e-remelando Olhos do bebê remelando: Por que isso acontece?[/caption] Entretanto são várias as causas do olho do bebê com remelas. Contudo, uma delas é a conjuntivite, que é comum tanto a crianças quanto a adultos. Boa parte dos casos de olhos lacrimejando e colando entre os recém-nascidos e bebês está associado a outro problema. O entupimento do canal lacrimal é bem mais comum do que as pessoas costumam imaginar. Muitos bebês nascem com o desvio do canal. Geralmente não é nada preocupante ou sério, Apesar de poder levar até 12 meses para que este tipo de situação se normalize. É uma causa natural, portanto ninguém tem culpa visto que não indica uma falta de cuidado, por exemplo. O olho de bebê remelando também pode ser indicativo da contração de algum tipo de infecção. Neste caso, com fluídos amarelados, é interessante procurar uma ajuda médica Determina como administrar e cuidar desta situação antes que vire de fato um problema.

3 - Olhos do bebê remelando, quais são as principais causas?

[caption id="attachment_509" align="aligncenter" width="391"]Olho remelento As principais causas[/caption] Como mencionado antes, são várias as causas do olho de bebê com remela. Isso pode acontecer devido a um simples resfriado ou gripe, devido a inflamações e infecções ou ao canal lacrimal obstruído. É realmente difícil apontar uma maneira eficaz de se evitar a contração de qualquer um desses problemas. Aliás, especialmente a obstrução do canal lacrimal é absolutamente algo interno. Faz parte do organismo do bebê e foge ao controle dos pais e até mesmo dos médicos. Quanto a infecções e resfriados é sempre importante lembrar que o convívio com um recém-nascido deve ser limitado e restrito. Com a saúde extremamente frágil ainda, indica-se que o bebê fique um pouco mais resguardado. Até que tenha tomado as principais vacinas ao longo dos primeiros meses. A limpeza das mãos do bebê com regularidade ajuda a evitar a contração de infecções na região dos olhos. Mas essa não é a única forma de se contrair bactérias na área, pois, Não há nada que se possa fazer literalmente a respeito além de manter uma boa e adequada rotina de higiene, não é mesmo?

4 - Olhos do bebê remelando, existem tratamentos para o olho de bebê remelando?

[caption id="attachment_510" align="aligncenter" width="383"]olhos remelentos Olho remelento - tratamento[/caption] Quando for indicado que o olho do bebê está remelando porque ele tem o canal lacrimal obstruído, ou entupido, será indicado aos pais fazer a limpeza da região com soro fisiológico. Ou até mesmo água morna sempre fazendo um tipo de massagem que permita que o canal vá, aos poucos, sendo desobstruído. No geral, os bebês conseguem se ver livres desse pequeno problema embora até completarem o seu primeiro ano, todavia vale lembrar que há variações. Em casos mais sérios pode ser necessário entrar com uma pequena cirurgia para a desobstrução. Essa cirurgia é bem simples e rápida. A criança recebe anestesia para o seu maior conforto! Para os casos em que a remela for identificada como um resultado de conjuntivite, além da limpeza cotidiana, poderá ser passado algum medicamento ou remédio em específico. No geral, o chá de camomila quase frio é um dos itens indicados nessa situação.

5 - Olhos do bebê remelando, como minimizar tais sintomas?

[caption id="attachment_511" align="aligncenter" width="419"]Olho do bebe remelando Como aliviar sintomas[/caption] Para minimizar desde uma conjuntivite até um problema no canal lacrimal é válido manter a limpeza dos olhos do bebê sempre em dia. Utilize uma gaze em cada olho para não correr o risco de levar pequenas infecções de um lado para o outro. Outro cuidado interessante é de fazer massagens preventivas no canal lacrimal dos olhos, Pois, desde o nascimento do bebê e antes mesmo que ele venha a apresentar qualquer indicativo desse possível entupimento. Fora isso, paciência mãe e paciência pai! As doenças mencionadas aqui não costumam ser prejudiciais a saúde visual da criança, contudo assim é importante ficar de olho para que os olhos não sejam postos em risco. Se perceber que os sintomas estão se agravando ao invés de diminuir, é bom recorrer a ajuda especializada, como você verá a seguir.

6 - Olhos do bebê remelando,  consulta ao oftalmologista pediátrico: É necessário?

[caption id="attachment_45" align="aligncenter" width="448"]Conjuntivite Neonatal Baby Eye Care Brasil- Clínica infantil oftalmológica[/caption] Sim! Especialmente se a situação do olho do bebê remelando continuar mesmo após uma ou duas semanas. Nos casos em que é necessário fazer a completa limpeza mais do que três vezes ao dia Ou ainda quando se percebe que o fluído lacrimal é amarelado. Em todos esses casos, que são considerados como agravantes da situação, indica-se a procura por um profissional oftalmologista com especialização pediátrica. Mais do que uma necessidade, este é um cuidado com a saúde da visão do bebê. Nos casos mais sérios, quando há uma intervenção rápida e o tratamento certo é iniciado depressa. É possível que a recuperação do canal e da vista sejam completos. Para tanto, tenha certeza de contar com quem realmente entende dessa especialidade. A Clínica Baby Eye Care é referência quando o assunto é cuidar dos olhos do seu filho! Aproveite para entrar em contato e agende uma consulta para saber mais sobre o olho de bebê remelando e também sobre outros assuntos relacionados aos olhos! Dr. Marcelo Cavalcante Costa, sócio/proprietário da Baby Eye Care Brasil, consultório médico especializado em doenças oftalmológicas em crianças, médico responsável por esse artigo. [caption id="attachment_191" align="aligncenter" width="381"]Conjuntivite Neonatal Dr. Marcelo Agra Cavalcante Costa[/caption]
Read more

Alerta à Síndrome de Irlen

Recentemente tem sido divulgado, pela imprensa, internet e mídia televisiva leiga a possibilidade de diagnóstico e tratamento da Síndrome de Irlen. Essa síndrome foi descrita pela psicóloga americana, Helen Irlen, em 1987 e enquadra indivíduos com dificuldade de adaptação ao contraste, e distorção da percepção na leitura, leitura lenta e ineficiente, perdas de palavras em linhas de leitura. A Organização Mundial de Saúde não reconhece a Síndrome de Irlen como doença, mesmo sendo divulgada desde 1987. Apesar de toda a divulgação pela mídia, onde depoimentos de pacientes foram usados para difundir o tratamento, a literatura médica internacional conclui em vários artigos científicos de revisão que o tratamento preconizado não apresenta evidência científica de eficácia. Cientes de que oftalmologistas e pediatras estão sendo contatados por familiares de crianças com dificuldade de aprendizado quanto ao milagroso e caro tratamento, só realizado em uma clínica de Belo Horizonte, o Departamento de Oftalmologia da SPSP, vem por meio desta esclarecer a comunidade pediátrica. A posição do Departamento de Oftalmologia da SPSP é semelhante ao das Sociedades Brasileira de Oftalmologia Pediátrica (SBOP) e Conselho Federal de Medicina de que não existem evidências científicas de que o uso de filtros coloridos traga benefício para crianças e adolescentes com dificuldade de aprendizado. Já em 2014 documento conjunto da Academia Americana de Pediatria, Academia Americana de Oftalmologia e a Associação Americana de Oftalmologia Pediátrica chegam a estas mesmas conclusões. O Departamento de Oftalmologia da SPSP e a SBOP recomendam na suspeita de Distúrbio de Aprendizado o seguinte: 1. As crianças que apresentam sinais de dificuldades de aprendizagem devem ser referidas no início do processo, para avaliações diagnósticas médicas, educacionais, psicológicas e/ou neuropsicológicas. 2. Crianças com dificuldades de aprendizagem devem receber apoio adequado e intervenções educacionais combinadas com tratamentos psicológicos e médicos, conforme necessário. 3. Crianças com deficiência de aprendizado suspeita ou diagnosticada, devem ser encaminhados para um oftalmologista com experiência no cuidado de crianças e o exame oftalmológico completo deve ser realizado para afastar causas refracionais, ortopticas ou anatômicas que estejam influenciando na diminuição da capacidade visual, e, em consequência, dificultado a leitura para longe e perto e o processo de aprendizado. Dra Rosa Maria Graziano – Presidente do Departamento de Oftalmologia Dra Márcia Keiko Tabuse- Vice Presidente do Departamento de Oftalmologia Dr Marcelo Costa – Secretário do Departamento de Oftalmologia   Link da matéria completa:  http://www.spsp.org.br/2017/08/09/informe-aos-pediatras-sobre-sindrome-de-irlen/
Read more

Danos dos monitores aos olhos

Ar-condicionado, luminosidade excessiva e computadores formam, para oftalmologistas, um ambiente hostil —ou, para o resto do mundo, um escritório padrão. Ficar horas a fio em frente a uma tela luminosa, particularmente, pode afetar a visão das pessoas, mas com pequenas alterações é possível minimizar os danos. Segundo Pedro Antonio Nogueira Filho, oftalmologista do Hospital de Olhos Paulista, a intensidade da luz das telas desencadeia um efeito no sistema nervoso central que aciona o que se chama de atenção ativa. “Essa atenção inibe mecanismos autônomos, que não precisamos pensar para que aconteçam. Um deles é o piscar”, diz. Em condições normais, uma pessoa pode piscar até 20 vezes num minuto. Na frente do computador, porém, pode ficar minutos sem fazê-lo, não hidratando, assim, os globos oculares. “Isso compromete a transparência da córnea, o que leva a gente a enxergar menos.” Outros sintomas são sensação de areia no olho, ressecamento, vermelhidão e lacrimejamento, diz Newton Kara Junior, oftalmologista do Hospital Sírio-Libanês. É possível, também, ficar com a sensação de olhos cansados. “As pálpebras começam a pesar ao longo do dia. Literalmente, uma manifestação de sono antes do período que deveria acontecer”, diz Nogueira Filho. Geralmente, o desconforto é passageiro, e os danos à saúde ocular, reparáveis. Se não houver cuidado, porém, a pessoa com problema de lubrificação dos olhos pode apresentar quadros inflamatórios ou ter distúrbios de visão, como borramento. Para minimizar os danos, é preciso mudar a iluminação do ambiente. “Quanto mais luz, menos a claridade da tela vai incomodar”, explica Kara Junior. Sempre que possível, a luz natural, vinda das janelas, deve ser favorecida. “Ela cansa menos os olhos”, afirma Marcelo Cavalcante Costa, oftalmologista do Hospital Samaritano Higienópolis. E quando lâmpadas artificiais forem necessárias, a melhor opção é espalhar pelo escritório focos de luz. “Com o advento do LED tudo é muito claro, muito excessivo”, diz Nogueira Filho. Ajustar as configurações do monitor é o próximo passo: a luz deve ser a mais branda possível para que o profissional realize suas atividades de forma que o stress por excesso de iluminação seja evitado. “É como você pedir para alguém ficar de olhos abertos diante de uma lanterna. Vai incomodar. É um estímulo que gera transtornos”, explica Nogueira Filho. E a mais simples das dicas: lembrar de piscar. Se não der, o ideal é fazer pausas de hora em hora e aproveitar para ver ao longe —olhar muito tempo para um ponto próximo pode levar a um problema de foco na visão. Hidratar os olhos ao longo do dia também ajuda. “A primeira coisa é usar um lubrificante ocular, eles podem ser adquiridos sem receita. A cada hora você pode pingar uma gota nos olhos”, diz Marcelo Cunha, da Clínica de Olhos Dr. Moacir Cunha.   COMO MINIMIZAR EFEITOS DAS TELAS NA SAÚDE -A extremidade superior da tela do computador deve ficar ou na linha dos olhos ou abaixo dela. Se estiver mais alta, temos que olhar para cima, expondo mais a superfície do olho e aumentando o ressecamento. -Ajuste a luminosidade da tela para a mais branda possível. A luz deve ser apenas forte o suficiente para que você consiga fazer seu trabalho naquele ambiente. -A cada 45 ou 50 minutos, levante-se, procure uma área ampla e olhe ao longe. Isso ajuda a equilibrar sua capacidade de foco dos olhos. -Tente lembrar-se de piscar com mais frequência quando estiver de frente ao computador. -Pingue um colírio lubrificante indicado por um oftalmologista: cada pessoa pode precisar de um tipo diferente. -A distância ideal da tela do computador para os olhos é de 60 centímetros. -Caso sinta algum desconforto, procure um oftalmologista.   Matéria da Folha de São Paulo em que o Dr. Marcelo Cavalcante Costa, da Baby Eye Care, participou. Veja a matéria completa no link: http://www1.folha.uol.com.br/sobretudo/carreiras/2017/10/1928908-atitudes-simples-podem-minimizar-danos-da-luz-das-telas-na-saude.shtml
Read more

Ligação do zika vírus e cegueira em bebês

Dois médicos de São Paulo investigam a suspeita de ligação entre o zika vírus e lesão na retina, que pode levar a perda de visão e até mesmo a cegueira. Marcelo Cavalcante Costa e Sandra Francischini, especialistas em oftalmologia em prematuros e recém-nascidos da Santa Casa e do Hospital das Clínicas, respectivamente, contam que acompanham três casos de bebês com microcefalia que nasceram também com essa lesão nos olhos. As mães são de São Paulo, mas estiveram durante a gestação no Nordeste, região que vive epidemia de nascimento de bebês com má-formação cerebral. Segundo Costa, bebês com microcefalia normalmente têm lesão na retina. Porém, no caso das três mulheres, foram verificadas lesões diferentes do que é normalmente encontrado em caso de criança com má-formação. — É uma atrofia na retina e uma cicatriz. É bem diferente do que vimos antes. Nunca tivemos nenhum caso parecido. Nas situações de microcefalia por toxoplasmose ou citomegalovirus a lesão já é conhecida, mas essa com suspeita de zika é diferente. O especialista afirma que ainda é preciso conhecer mais casos para se afirmar algo tão sério, mas, ele faz questão de ressaltar que essa lesão é diferente das demais. — Ainda não existe nenhum material acadêmico sobre isso, estamos levantando os dados. Como é uma alteração única, acreditamos que está ligada ao zika. Provavelmente serão crianças de baixa visão ou até mesmo cegueira. Costa ainda diz que entrou com pedido em uma revista científica de renome para registrar a suspeita. — Foi o primeiro exame com foto documentado de criança com suspeita de zika. Vamos aguardar para saber se há mais casos e se a suspeita se confirma.   Matéria da Folha de São Paulo em que o Dr. Marcelo Cavalcante Costa, da Baby Eye Care, participou. Veja a matéria completa no link: http://noticias.r7.com/saude/especialistas-investigam-suposta-ligacao-de-zika-virus-e-cegueira-em-bebes-15122015
Read more
WhatsApp Entre em contato