1 – 2 a 3% de crianças até 2 anos, e 3 a 6% até 6 anos apresentam a Ambliopia

Ambliopia é a anomalia que faz com que uma pessoa enxergue melhor com um olho do que com outro. Conhecida como “olho preguiçoso” é desenvolvida quando o cérebro para de enviar informações para um dos olhos. E isso acontece devido a uma série de fatores que contribuem para que a visão de apenas um olho se desenvolva corretamente. Assim a visão do outro olho para de se desenvolver. As crianças com até 6 anos de idades são as mais acometidas por essa anomalia. Enquanto 2 a 3% das crianças com até 2 anos apresentam Ambliopia, esse percentual aumenta para de 3 a 6% em crianças com até 6 anos de idade. São registrados cerca de 150 mil casos por ano em virtude desta anomalia ocular. Portanto, quero alertar a você mamãe e a você papai que quanto mais precocemente esse problema é percebido, menores são as sequelas. Então, quero te convidar a continuar a leitura desse artigo. Aqui vou compartilhar com você informações sobre:
  • Ambliopia: definição e causas
  • Ambliopia: sintomas e tratamento

2 – Ambliopia: definição e causas

[caption id="attachment_708" align="aligncenter" width="300"]Ambliopia infantil Ambliopia infantil[/caption]  A Ambliopia é uma deficiência que apesar de causar problemas de visão está ligada ao cérebro humano. Afinal é desenvolvida quando o cérebro beneficia apenas um olho já que o outro olho não recebe estímulo adequado das vidas nervosas. Assim sendo, ela afeta diretamente a acuidade visual tornando-a reduzida. Em primeiro lugar, os olhos captam imagens e as convertem em estímulos elétricos. Posteriormente, os nervos óticos transmitem essas imagens. E no cérebro, na região voltada para a visão, essas imagens são processadas. Quando o olho e o cérebro não funcionam de forma harmônica e sincronizada, aí a Ambliopia é apresentada. Como citei no início deste artigo, vários fatores podem ocasionar a Ambliopia. A exemplo do estrabismo, anisometropia e ametropia. Em suma, a Ambliopia Estrábica é considerada a mais comum, por isso acomete com mais frequência as crianças. O estrabismo contribui significativamente para a ambliopia, pois com os olhos desalinhados gerando visão dupla o cérebro acaba ignorando a informação visual do olho mais fraco. Vale ressaltar que apesar da anomalia, o olho não desenvolvido corretamente é um olho saudável que precisa, apenas, ser estimulado. Na Anisometropia (tema do nosso próximo artigo) devido a problemas como astigmatismo, miopia ou hiperopia a ambliopia também pode ser desenvolvida. Isso porque essas deficiências oculares causam problemas na refração ocular, ou em outras palavras, problemas de focalização. E com isso contribui com o desenvolvimento da ambliopia.

3 - Ambliopia: sintomas 

[caption id="attachment_707" align="aligncenter" width="225"]Um olho se desenvolve mais do que outro Um olho se desenvolve mais do que o outro[/caption]  Apesar da diminuição da visão que é o principal sintoma, em se tratando de crianças fica mais complicado. Já que elas dificilmente relatam ou até mesmo percebem essa redução visual. Cabe, portanto, a você papai e mamãe seguir algumas dicas que irão facilitar na observação do problema na criança. Quando a causa for consequência do estrabismo, a observação acaba sendo mais fácil. Então, a primeira dica que quero te dar é essa: se você percebeu que seu filho ou sua filha apresenta um desvio no olhar, procure um oftalmologista. Pois como já falei uma anomalia pode levar a outra e quanto mais cedo for detectada, mais fácil é de corrigi-la. Porém, se não há desvio, então, entra aí a importância das crianças até 3 anos de idade serem acompanhadas por um especialista. Em suma, mamãe e papai, não achem que é exagero levar seu pequeno ou sua pequena a um oftalmologista.

4 - Ambliopia: tratamento

[caption id="attachment_709" align="aligncenter" width="300"]Tampar um dos olhos é um dos tratamentos Tampar um dos olhos é um dos tratamentos[/caption] Portanto para que o diagnóstico seja preciso é necessário que a criança seja avaliada e a causa da ambliopia definida. Entre os possíveis exames que seu filho pode fazer estão:
  • Exame com tampão (um olho é tapado para que o outro seja avaliado)
  • Teste alternado com e sem cobertura
  • Refração
  • Oftalmoscopia
  • Lâmpada de fenda
O tratamento envolve forçar o cérebro a utilizar as imagens captadas pelo olho afetado. No entanto isso pode ser conquistado apenas utilizando mecanismos para corrigir o foco visual (refração), a exemplo do uso de óculos. O grande X da questão que quero reforçar com você, papai e com você, mamãe, é que não há motivo para se desesperar. Todas essas informações que estou compartilhando com você é para que seu filho receba o acompanhamento correto o mais rápido possível. Dessa forma poderemos corrigir qualquer anormalidade em tempo hábil.   Gostou das dicas e das informações que foram dadas ao longo desse conteúdo? Quer ficar por dentro de outros artigos? Como esse, eles vão lhe auxiliar nos primeiros meses e anos da vida do seu filho! Aproveite e se inscreva para receber a nossa Newsletter! Curta, compartilhe e comente esse artigo. Nós, da Baby Eye Care Brasil, apoiamos o movimento a favor da saúde ocular dos bebês e acreditamos que o diagnóstico precoce é o único caminho para uma saúde oftalmológica completa. Gostaria de ter a chance de tratar o seu filho a tempo ou ao menos oferecer-lhe maior conforto? Contate-nos para mais informações: (11) 3171-3123 ou contato@babyeyecarebrasil.com.br. [caption id="attachment_705" align="aligncenter" width="300"]Dr. Rodolpho Navaro Filho Dr. Rodolpho Navaro Filho[/caption] Dr. Rodolpho Navaro Filho é formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em 1995, onde também fez sua residência (Departamento de Oftalmologia da Santa Casa de São Paulo). Especializado em Estrabismo pela Seção de Estrabismo do Departamento de Oftalmologia da Santa Casa de São Paulo em 2001.