saúde ocular

saúde-ocular-infantil-importância-do-oftalmologista-infantil

Saúde ocular infantil – importância do oftalmologista infantil

1 - Oftalmologistas especializados contribuem para a saúde ocular infantil

saúde-ocular-infantil-importância-do-oftalmologista-infantil Queridos pais, vocês sabiam que é de suma importância que seu filho ou sua filha tenham uma saúde ocular infantil de qualidade? Se até agora não tinham esse conhecimento, partir da leitura desse artigo tudo vai mudar. Por isso, quero convidá-los a ler esse post até o final para que vocês entendam como é fundamental ter um acompanhamento oftalmológico já desde a idade inicial. O Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) divulgou este ano que doenças oculares foram responsáveis por tornar crianças cegas, com a visão comprometida ou baixa. Essas doenças poderiam ser tratadas e até mesmo prevenidas se houvesse um acompanhamento oftalmológico dessas crianças logo cedo. É justamente por isso que temos ressaltado aqui no blog a importância de vocês pais trazerem seus filhos o quanto antes para cuidarmos. Muitos pais ainda desconhecem como é necessário que as crianças, inclusive bebês sejam acompanhados por um especialista oftalmológico infantil. Já falamos por aqui sobre fadiga ocular, exame de fundo de olho, oftalmologia pediátrica, entre outros, para deixá-los ainda mais informados sobre essa questão que, infelizmente, ainda hoje é negligenciada.

2 - Doenças oculares que podem ser prevenidas e acabam afetando as crianças

saúde-ocular-infantil-importância-do-oftalmologista-infantil Algumas doenças, como por exemplo, retinopatia da prematuridade, glaucoma congênito, atrofia óptica, causam cegueira ou baixa visão em crianças. Da mesma forma, catarata infantil e a toxoplasmose também entram na lista de enfermidades oculares que atingem crianças. Porém, também são doenças que poderiam ser tratadas e até mesmo prevenidas se a criança fosse acompanhada corretamente. Assim sendo, cada vez mais testifica-se a importância do acompanhamento feito por um oftalmologista pediátrico. Contudo, quando esses casos acontecem, é possível que o quadro seja revertido. Para isso é fundamental que haja um cuidado em caráter multidisciplinar, inclusive antes mesmo do nascimento do bebê. Para vocês terem noção pais, os oftalmologistas infantis podem atuar até mesmo na fase gestacional da mamãe, dependendo, claro, da necessidade. E esse acompanhamento deve ser realizado pelo menos até os primeiros anos de vida do seu bebê. Exames como o teste do olhinho e, posteriormente, consultas semestrais fará o oftalmologista do seu filho ou da sua filha ter uma melhor avaliação e, também, melhor resultado dos avanços para reverter essas doenças. Após isso, as visitas ao doutor podem passar a acontecer anualmente. Frisando que até isso acontecer, é necessário muito cuidado e acompanhamento médico.

3 - Como descobrir se uma criança tem algum problema ocular?

saúde-ocular-infantil-importância-do-oftalmologista-infantil Antes de mais nada precisamos lembrar aos papais que ninguém nasce sabendo enxergar. Em outras palavras, os bebês de vocês irão aprender dia após dia a enxergar. É a lei natural das coisas, fique tranquilo. Entretanto, durante o crescimento da criança, é muito difícil que os pais consigam perceber logo de cara. Mas, não se sintam culpados. Entendam apenas que é importante que seus filhos recebam os cuidados oftalmológicos devidos o quanto antes. Saibam que cerca de 90% da visão de suas crianças só vão se desenvolver até os 2 anos de idade. O restante só será totalmente desenvolvido quando ela completarem 6 ou 7 anos. Tudo isso depende do estímulo visual que o cérebro recebe, pois ele precisa disso para levar aos olhos a informação visual perfeita e, assim, a criança aprenda a enxergar perfeitamente.

4 - Cuidados a serem tomados

saúde-ocular-infantil-importância-do-oftalmologista-infantil Infelizmente, muitas vezes por falta de informação, problemas na visão podem ser confundidos com dificuldade cognitiva. Pesquisadores descobriram que muitas crianças apresentam dificuldade no período de alfabetização, porém por causa de problemas de visão. Avalia-se que cerca de 20% das crianças em fase estudantil deveriam usar óculos ou outras correções óticas. Porém, isso não acontece, muitas vezes, por falta de oportunidade, seja de ser consultado por um oftalmologista, de comprar um óculos, e outros fatores. Dessa forma quero dizer a vocês papais e mamãe que tenham cuidado quando perceberem que seus filhos não estão mais indo tão bem na escola. Esse pode ser, sim, um dos sinais de que a saúde ocular deles não está 100%. Fiquem atentos, mas não se precipitem. Mas, não são apenas os pais que precisam se conscientizar. Acreditem, mas muitos pediatras também precisam estar atentos a essas questões. Com o acompanhamento correto, pais bem informados e pediatras conscientes da importância do cuidado oftalmológico infantil conseguiremos, juntos, prevenir para que essas doenças não aconteçam.

5 - Importância da oftalmologia pediátrica para a saúde ocular infantil

saúde-ocular-infantil-importância-do-oftalmologista-infantil A oftalmologia pediátrica é a especialidade responsável por acompanhar todo o desenvolvimento e saúde ocular infantil. Atua de forma a prevenir e também tratar as doenças que acometem bebês e crianças. Dessa forma é fundamental que todos os pais entendam a importância de ter um oftalmologista pediátrico acompanhando o bebê desde o seu nascimento. Lembrando que bebês e crianças podem desenvolver doenças oculares, como por exemplo, estrabismo, ambliopia, miopia infantil. Assim sendo, é o oftalmologista pediátrico que irá diagnosticar, tratar e acompanhar a criança. No último artigo falamos sobre Porque cuidar dos olhos desde a infância. Confira!
Read more
Entenda como a saúde ocular no esporte é importante.

Como a saúde ocular no esporte é importante !

Como a saúde ocular no esporte é importante !

Todos os anos são registrados milhares de lesões oculares ligadas à prática de esportes e recreação em geral. Entretanto, manter a saúde ocular no esporte é possível em cerca de 90% dos casos desde que medidas simples, mas importantes para a prevenção, sejam tomadas. Quando falamos sobre saúde ocular nos esportes o ponto chave é observar que a lesão e a sua gravidade variam de acordo com a atividade esportiva realizada. A prevenção efetiva tem início ainda nessa fase bem inicial. O esportista precisa conhecer bem o esporte que está praticando e se certificar de que a proteção ocular usada para ele ou para os membros de sua família é a mais apropriada. Além disso, é preciso considerar que óculos comuns (de grau ou de sol) não oferecem nenhum tipo de proteção à visão sendo necessário tomar alguns cuidados extras!

Esportes de alto risco

Independente da idade, os esportes que exigem um maior nível de contato físico e tem mais impacto geralmente são os que mais provocam lesões oculares. Por exemplo, tênis, basquete e beisebol. Mas, esses estão apenas na base da pirâmide. Artes marciais, MMA e Boxe, por exemplo, são esportes um pouco mais complicados, pois deixam o praticante extremamente exposto às lesões graves sendo que em alguns caso pode-se haver a perda total da visão. Quem tem a visão reduzida em apenas um dos olhos precisa estar ainda mais atento uma vez que o risco de lesões no outro olho pode ser maior especialmente se o esporte praticado envolver raquetes e contato. E, apesar dos números de lesões relacionadas à prática de esportes ser grande eles não são os únicos responsáveis por tais riscos. Segundo uma pesquisa realizada pela Academia Americana de Oftalmologia e pela Sociedade Americana de Trauma Ocular cerca de 40% dos problemas oculares, (lesões) acontecem em casa enquanto a pessoa realiza algum trabalho de reparo, limpeza e até mesmo na cozinha. A dica básica é ter bom senso e se cuidar sempre, não importando a atividade a ser realizada.

Dicas para saúde ocular no esporte

Existem algumas ações práticas que podem aumentar o nível de proteção à saúde dos olhos dos esportistas enquanto praticam sua atividade preferida. A seguir, veja algumas orientações dadas pela Academia Americana de Oftalmologia. Acompanhe:
  • Mesmo que a liga esportiva não cobre o uso de itens de proteção é interessante que jovens que praticam esportes façam uso de máscaras, capacetes e lentes de policarbonato para a proteção da visão;
  • Esportistas que tenham a visão somente em um olho ou aqueles que têm menos de 20/40% de visão devem sempre usar óculos de proteção de acordo com o esporte que for praticado;
  • Quem tem lente de contato ou óculos de grau também deve usar óculos de proteção.
  • Esses itens não oferecem nenhum tipo de segurança quando algo atinge o olho.
  • Danificados ou não, é preciso ficar atento ao tempo de uso de óculos de proteção esportiva. Com o passar do tempo eles podem perder suas propriedades protetoras. Por isso, deve-se sempre observar as orientações do fabricante.
Por fim, o oftalmologista sempre deve ser consultado tanto em relação à saúde dos olhos no esporte quanto em momentos em que venham a surgir qualquer incômodos na visão. Quanto mais cedo a identificação do problema for feita, mais rápido e efetivo será o tratamento!
Read more

Estrabismo: conheça a anomalia que pode afetar a visão do seu bebê

Estrabismo: conheça a anomalia que pode afetar a visão do seu bebê

1 – Pais - ATENÇÃO -  Após seis meses de vida não é normal o bebê apresentar desvio ocular, pode ser Estrabismo.

Estrabismo é um problema ocular que faz com que os olhos foquem em direções diferentes. [caption id="attachment_537" align="aligncenter" width="300"]exto Estrabismo Estrabismo[/caption] Popularmente conhecido como “vesgueira”,  o estrabismo  é frequentemente percebida em bebês até quatro meses de vida. Porém, em recém-nascido é considerado normal uma vez que ele ainda está aprendendo a enxergar. Entretanto, mamãe e papai, se durante esse primeiro mês isso seja uma constante, é necessário observar mais de perto. Até os seis meses, seu bebê vai apresentar essa anomalia, porém não de forma frequente. Contudo se esse desvio for frequente, papai e mamãe, é hora de procurar um médico. Semelhantemente se seu bebezinho já passou dos seis meses, mas continua apresentando esse problema. Dessa maneira convido você a continuar com a leitura do artigo, pois vou te orientar sobre:
  • Estrabismo: definição, causas e sintomas

  • Estrabismo: tratamentos

  • Estrabismo: quais anomalias oculares estão associadas?

Quanto mais você conhecer do universo infantil, mas fácil será perceber qualquer diferença em seu filho. Vamos lá?

 2 – Estrabismo: definição, causas e sintomas

Como falei no início desse texto, o estrabismo é uma anomalia oftalmológica que afeta, principalmente as crianças. No artigo Exame de fundo de olho, para que serve? Dr. Marcelo explicou a importância do acompanhamento oftalmológico para as crianças. Então, quanto mais precoce a descoberta de alguma alteração visual na criança, mas qualidade de vida ela terá. Da mesma forma, quanto mais cedo você perceber esse frequente desvio no olhar do seu bebê, mais cedo poderemos tratar. Vale salientar para você que o estrabismo não se cura sozinho. Uma vez percebido esse problema, não se desespere, mas procure um oftalmologista. Mas, pai e mãe, você sabe o que leva uma criança a apresentar esse problema?Em linguagem médica, Estrabismo é quando uma pessoa perde ou não tem a capacidade de olhar de maneira paralela. Essa perda faz com que essa pessoa apresente desvio no olhar. Apesar de ser mais comum em bebês, crianças maiores, e adultos também podem adquirir ou apresentar a anomalia. Um dos fatores que causam o estrabismo é quando os músculos que controlam os movimentos dos olhos sofrem alguma alteração. Pode ser causado também devido a doenças como da retina, do nervo ótico ou do cristalino. Sofrimento fetal e nascimento prematuro entram na lista de problemas que causam essa anomalia. O principal sintoma do estrabismo é desvio ocular, ou seja, os olhos não conseguem ficar paralelos. Entretanto, as crianças apresentam inclinação ou acabam virando a cabecinha de forma anormal. Como resultado elas podem sofrer com torcicolo.

3 – Estrabismo: tratamento

 Existem diversos tipos de estrabismos como a Esotropia, a Exotropia e Desvios Verticais. A Esotropia também conhecida como desvio convergente é quando os olhos com desvio se fixam para dentro. Em outras palavras, os olhos ficam focados na direção do próprio nariz. Já a Exotropia é quando os desvio ocular levam os olhos a focarem “para fora”, cada olho foca em uma direção. Os Desvios Verticais é quando um olho fica mais alto ou mais baixo do que o outro. Aí você pode me perguntar: “Mas, doutor, como tratar e curar essa anomalia?” Segundo o Centro Brasileiro de Estrabismo 99% das crianças diagnosticadas precocemente têm sucesso na correção do problema durante o tratamento. Para a eficácia do tratamento é necessário avaliar a causa da anomalia em cada paciente. Isso, porque como falei acima mamãe e papai, diversos fatores podem ocasionar o Estrabismo. Portanto, vamos analisar os casos individualmente observando o seguinte:
  1. Se o estrabismo for causado devido a outras anomalias oftalmológicas (irei abordar mais à frente neste artigo), o tratamento será o uso de óculos;

  2. Dependendo do tipo de anomalia ocular, o tratamento consistirá em tampar um olho com uma proteção para que o outro olho que apresenta a disfunção em nível maior possa ser “forçado” a se desenvolver;

  3. Se a causa for devido à alteração muscular dos olhos, o tratamento será cirúrgico.

Outro tratamento que vem sendo utilizado diz respeito à toxina botulínica que evita que impulsos nervosos cheguem ao músculo ocular. Com o propósito de paralisar o músculo extrínseco ocular, fazendo com que, consequentemente, os olhos se alinhem.

4 - Estrabismo: quais anomalias oculares estão associadas?

 O estrabismo também pode ser resultado de outros problemas oculares, como já adiantei neste artigo. Por exemplo, hipermetropia e ambliopia. Anomalias que afetam a visão e podem contribuir para que seu bebê desenvolva o estrabismo. Isso acontece em virtude de o globo ocular ser menor do que o normal. Se o estrabismo estiver associado à hipermetropia, seu filho vai precisar usar óculos, o que, provavelmente, conseguirá resolver o problema. Contudo, se o problema persistir mesmo com o uso de óculos, será avaliada a necessidade de uma cirurgia. Mas, se o estrabismo do seu bebê estiver ligado ao fato dele ter, também, ambliopia, ele vai precisar ficar com um dos olhos tampado por um tempo. A fim de que o cérebro se conecte com o olho que apresenta ser mais fraco, melhorando a visão. Não ache exagerado ou desnecessário levar seu filho ou sua filha para uma consulta oftalmológica. É fundamental que a criança tenha esse acompanhado o mais cedo para evitar problemas futuros. Isso fará de você uma mãe e um pai bem informados e que priorizam a saúde do seu filho desde sempre. Gostou das dicas e das informações que foram dadas ao longo desse conteúdo? Quer ficar por dentro de outros artigos? Como esse, eles vão lhe auxiliar nos primeiros meses e anos da vida do seu filho! Aproveite e se inscreva para receber a nossa Newsletter! Curta, compartilhe e comente esse artigo. Nós, da Baby Eye Care Brasil, apoiamos o movimento a favor da saúde ocular dos bebês e acreditamos que o diagnóstico precoce é o único caminho para uma saúde oftalmológica completa. Gostaria de ter a chance de tratar o seu filho a tempo ou ao menos oferecer-lhe maior conforto? Contate-nos para mais informações: (11) 3171-3123 ou contato@babyeyecarebrasil.com.br. [caption id="attachment_705" align="aligncenter" width="563"]Dr. Rodolpho Navaro Filho Dr. Rodolpho Navaro Filho[/caption] Dr. Rodolpho Navaro Filho é formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em 1995, onde também fez sua residência (Departamento de Oftalmologia da Santa Casa de São Paulo). Especializado em Estrabismo pela Seção de Estrabismo do Departamento de Oftalmologia da Santa Casa de São Paulo em 2001.  
Read more
WhatsApp Entre em contato